Wlamir Marques eterniza suas mãos no Hall da Fama do COB

416
Foto: Rômulo Simões/COB

O Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil ganha, oficialmente, mais um integrante, no dia 16 de julho. Indicado na turma de 2020, Wlamir Marques é um dos líderes da geração mais vitoriosa do basquete masculino do Brasil. O ala, também conhecido por “Diabo Loiro”, representou a seleção por duas décadas, tem no currículo duas medalhas olímpicas e agora, finalmente, eterniza suas mãos em cerimônia realizada no mesmo dia em que completa 84 anos. 

“É uma felicidade poder fazer hoje essa homenagem ao Wlamir e sua família. É muito importante valorizar todos os títulos que o Wlamir conquistou como atleta e pela maneira que ele sempre levou a vida, de forma correta e íntegra. São poucos atletas que, além de terem uma carreira vitoriosa, conseguem também com sua história inspirar outras pessoas a seguir no caminho do esporte, utilizando-o como ferramenta para divulgar os valores olímpicos de amizade, excelência, respeito. E ele conseguiu isso. Foi escolhido como um dos 10 maiores atletas da história do basquete brasileiro”, conta o campeão olímpico e diretor-geral do COB, Rogério Sampaio.

Wlamir Marques comemorou sua entrada para o Hall da Fama e o aniversário em Tatuapé, São Paulo, na companhia da filha Susi Marques, do genro Nedo Bianchini, da neta Fernanda Marques e de seu marido, Rafael Ribeiro. O ídolo do basquete recebeu a homenagem do também campeão olímpico e diretor-geral do COB, Rogério Sampaio.  

“Me sinto muito honrado com essa homenagem em vida, sinto muito feliz por ter sido eleito por unanimidade e pode ter certeza que se meu coração já não é muito bom, ele está balançado cada vez mais com o Brasil sempre presente. Muitas histórias já estão em livro. Queria falar da emoção de estar aqui sentado recebendo a homenagem de um campeão olímpico, meu conterrâneo. Não vejo que eu tenho futuro. Eu tenho o hoje e hoje é um grande dia. Quero que essa homenagem seja transferida a todos aqueles atletas que estiveram ao meu lado ou contra mim. E aqueles que jogaram contra mim, eu tenho toda a honra de cumprimentá-los, porque eles me fizeram cada vez melhor. Peço que estendam à minha geração, a geração de ouro, que foi medalhista olímpica e campeã do mundo, a representação nesta placa, nesta homenagem que recebo hoje”, diz Wlamir Marques.

Fonte: cob.org.br