VIROU BAGUNÇA 

338

Tem cabimento vacinar terapeutas e personal trainers antes dos mais velhos, que representam 70% dos mortos? Olha a bagunça que virou a vacinação contra o coronavírus. Quem diz isso é o médico Drauzio Varella, que argumenta: reconhecido como um dos maiores programas do mundo, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) caberia coordenar a distribuição das vacinas e estabelecer regras rígidas para definir as localidades e os grupos que deveriam receber as primeiras doses disponíveis.

“Não faltaria conhecimento a um programa com mais de 45 anos de idade, que foi capaz de eliminar a varíola e a poliomielite do país, de vacinar 18 milhões de crianças contra a poliomielite num só dia, 100 milhões de pessoas contra a H1N1 em três meses, em 2010, e 80 milhões contra a influenza, em 2020”, lembra Drauzio.

Agora, sem autonomia para coordenar a estratégia de vacinação, o programa houve por bem pulverizar pelo país as poucas vacinas existentes, como se a epidemia ameaçasse todos os municípios com igual virulência. Ao lado desse equívoco, facultou a estados e municípios a adoção dos critérios para estabelecer prioridades, de acordo com as realidades locais.

VEIA AUTORITÁRIA

A cada dia que passa, o presidente Jair Bolsonaro expõe mais uma faceta de seu autoritarismo. Agora ele fala, sem pudor, em fechar jornais. Bolsonaro criticou o Facebook e defendeu o aumento da tributação das redes sociais no Brasil. Em nova reclamação contra as políticas aplicadas pelas mídias sociais para combate à disseminação de notícias falsas, disse que “o certo é tirar de circulação” veículos como a Folha, O Globo, O Estado de S. Paulo e o site O Antagonista.  A declaração foi transmitida em uma rede social de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

OLHA O RISCO

É uma amostra do que poderá acontecer em massa quando o governo conseguir impor a volta às aulas presenciais. O colégio estadual de Foz do Iguaçu foi fechado depois que uma educadora foi diagnosticada com covid-19. Ela participou da formação pedagógica presencial, imposição da Secretaria Estadual de Educação e do Núcleo Regional de Educação (NRE), mesmo com a pandemia fora de controle.

STF CONTRA PAZUELLO

O ministro do STF, Ricardo Lewandowski, autorizou que a Procuradoria-Geral da República (PGR) acesse e-mails trocados pelo ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, para investigar sua responsabilidade no colapso do sistema de saúde do Amazonas, em janeiro de 2021. O ministro também autorizou a coleta de depoimentos de servidores da pasta sobre gastos com a aquisição do remédio hidroxicloroquina e desenvolvimento do aplicativo “TrateCOV”

VACINAS ACABAM NA SEXTA

Curitiba será obrigada a paralisar a vacinação de idosos. O estoque de vacina do município está acabando e, por ora, não há previsão de novos lotes entregues pelo Ministério da Saúde. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o estoque deve durar até sexta-feira. A aplicação das segundas doses, que teve início no último dia 10, está garantida para os profissionais de saúde da linha de frente no enfrentamento à pandemia.

À TOQUE DE CAIXA

Em primeiro turno, à toque de caixa, foi aprovado na Câmara Municipal de Curitiba o projeto de lei que estabelece que a educação é um serviço essencial em Curitiba. Longe de valorizar a atividade de ensino é uma estratégia para impedir o fechamento das unidades escolares em qualquer situação, seja de surto de coronavírus, agravamento da pandemia, falta da água ou greve dos trabalhadores. Ou seja, é um golpe nos professores e no interesse dos alunos. Empresários da área fizeram comemorações.

SPUTNIK VBR

O embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov, está animado com as perspectivas da produção da vacina russa contra o Sars-Cov-2, a Sputnik V, em solo brasileiro. Akopov elogiou as instalações da farmacêutica brasileira União Química, parceira brasileira para a produção, e acredita que o Brasil não vai precisar importar insumos para a produção do inoculante russo.

BRASIL ESCOLHIDO

“Na América Latina, foi escolhido o Brasil como o país que tem condições físicas e instalações industriais adequadas não somente para engarrafar a vacina, mas produzir desde o começo até o final. Temos vários parceiros aqui no Brasil, vários governos estaduais declararam sua intenção de participar neste programa e foi encontrado um grande parceiro que é a empresa totalmente nacional, que é a União Química”, afirmou Akopov

DA SOBREVIVÊNCIA

“Enquanto o Big Brother Brasil distrai uma parte da nação, um naco considerável de brasileiros aguarda pela definição sobre a continuidade do chamado auxílio emergencial. Boa parte desta parcela de desvalidos está preocupada em tentar suprir suas necessidades mais básicas para manter-se vivo no mundo real”, palavras do deputado Luiz Claudio Romanelli.

NHONHO

Segundo assessor de confiança de Bolsonaro, o presidente tem se divertido muito com as piadas gordofóbicas para fazer chacota da desgraça de Rodrigo Maia dentro do DEM. O Chefe do Governo sabe que a gozação que mais irrita Rodrigo é ser comparado ao personagem Nhonho das veteranas aventura de Chaves na TV.

SEM AUXÍLIO

O Peru tem sido um dos países mais afetados pelo coronavírus. Com 75% da informalidade na economia, o vírus se espalha. É que as pessoas precisam sair de casa para ganhar o pão. E lá não tem auxílio emergencial.

NÃO É GUEDES

Arthur Lira vai deixando claro, rapidamente, que não foram apenas as promessas de cargos e verbas do governo que o levaram a vitória para a presidência da Câmara e sim, uma percepção muito similar à que consolidou a liderança de Eduardo Cunha (seu amigo, aliás) juntos aos deputados, especialmente os de baixo clero: ele entrega.

VELHOS TEMPOS

O senador Fernando Collor (Pros-AL) comemorou a autonomia do Banco Central. “Esperamos 31 anos para nossa legislação incorporar a orientação que adotei na prática em 1990”, lembrou o ex-presidente.

NÃO GOSTA

O estilo de Paulo Guedes, dado a “ultimatos”, há muito tempo não agrada o Centrão. A vitória de Lira e Pacheco pode até significar um alinhamento com Bolsonaro, mas nada mudará o humor do ministro. O grupo já trabalhou para tentar fritar Guedes, aproximando-o de seu “inimigo” no governo, o chamado “fura-teto” Rogério Marinho. Guedes precisa contar com apoio total de Bolsonaro, caso contrário a situação se deteriora.

REPLAY

Depois de ter acertado novas dependências para jornalistas da Câmara (com janelas), Arthur Lira, presidente da Câmara, repete Rodrigo Maia. Deu várias entrevistas, na semana passada, em diferentes locais da Casa, demonstrando que a “alteração de endereço” do Comitê de Imprensa não afeta o trabalho dos jornalistas. E mais: já circula acompanhado de aspones – também como Maia fazia.

NA JUSTIÇA

Mesmo após o anúncio da aquisição da Biosev, os executivos da Raízen, ainda estão apreensivos quanto a conclusão do negócio. Há temores que os bancos credores tentem melar a operação. E isso porque a Louis Dreyfus, agora ex-controladora da Biosev, não deu qualquer garantia às instituições financeiras que pagará os mais de R$ 4 bilhões em dívidas da companhia não assumidos pela Raízen. O caso pode ir para na Justiça.

NO AR

Com mais de 22 dias com o número acima de mil mortes por dia no Brasil por causa do coronavírus, mais uma notícia deixou os brasileiros assustados.  Pesquisas feitas desde o ano passado pelo Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CTDN), sediado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), evidenciaram a presença do vírus em partículas do ar. É uma das poucas pesquisas no mundo que conseguiram exibir essa evidência, validada por métodos científicos, e reforçando o alerta para o perigo existente em locais mal ventilados ou com pouca circulação do ar.

DESGASTE DE IMAGEM

O governador afastado do Rio, Wilson Witzel, não gostou da decisão do STJ que acatou a denúncia o tornando réu, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. Ele acredita que é um processo político e não administrativo e que sua imagem ficará desgastada no meio. “Infelizmente, o recebimento de denúncia criminal no Brasil ainda se faz com base no princípio do ‘in dúbio pro societat’, permitindo-se um processo penal duvidoso e recheado de acusações falhas. Ocorre que esses processos causam desgastes irreparáveis de imagem. Anos depois, quando são julgados improcedentes e geram absolvição, a imagem do acusado está irremediavelmente prejudicada”,

ABSOLVIÇÃO

Ainda Witzel: sendo advogado e ex-juiz tem certeza de sua absolvição. “Pela minha experiência como magistrado, é desta forma que avalio. Farei minha defesa com a certeza de que serei absolvido. Jamais pratiquei qualquer ato ilícito na minha vida”. Independentemente do resultado do julgamento, o sonho de ser candidato à presidência da República em 2022 foi disseminado.

FRASES

“Que azar. Quando o Brasil mais precisava de técnicos treinados para executar a difícil tarefa de vacinar seus habitantes, caímos nas mãos de um Ministério da Saúde fragilizado, dirigido por amadores.”

Drauzio Varella