Um advogado em cena

300

Ele foi um homem da tribuna. Em sua longa carreira que somou mais de 100 defesas, o advogado René Ariel Dotti batalhou em prol do indivíduo e das garantias fundamentais. Ainda iniciante na profissão, ele defendeu jornalistas paranaenses processados por tribunais militares nos anos que se seguiram ao golpe de 1964. Contundente e agressivo, sem ser desrespeitoso, ele conseguiu a absolvição de todos os acusados. Muito de sua verve e de sua presença na cena do tribunal ele devia ao teatro. Dotti foi um entusiasta da dramaturgia. Ao lado do amigo Ary Fontoura, que depois consolidaria sua carreira como ator, ele fundou uma companhia de teatro. Sua dedicação, no entanto, quase lhe custou a reprovação por faltas no curso de Direito da Universidade Federal do Paraná. Em 1961, abriu um pequeno escritório em um prédio na Avenida Marechal Deodoro, no centro de Curitiba, que foi sendo ampliado e hoje ocupa quatro andares. A pandemia da Covid-19 o obrigou, contrafeito, a suspender a rotina diária que consistia em expedientes matutinos no trabalho e tardes de natação e ginástica. Morreu em casa aos 86 anos, em 11 de fevereiro, vítima de uma parada cardiorrespiratória.

A conferir

Ao defender as investigações da Lava-Jato colocadas sob suspeição e atacar as diligências da polícia contra o filho mais velho do presidente da República, implicado no esquema das “rachadinhas, os habitués das redes sociais inauguraram a temporada da “dupla moralidade”.

Depois da “folia”

Uma proposta para regulamentar as forças-tarefa da Lava-Jato continua à espera de uma iniciativa do Procurador-Geral da República, Augusto Aras. Para ele o ano só começa depois do Carnaval, se bem que Carnaval não há.

Acesso diferenciado

A Editora Bonijuris e seu editor-chefe, Luiz Fernando de Queiroz, estão debruçados sobre um novo modelo de negócios que pode resultar no acesso diferenciado a livros e revistas em formato digital.

Personalizadas

O modelo é baseado no patrocínio e na comercialização de espaços de publicidade nas páginas das publicações. A proposta de negócio também envolve a personalização de edições da Revista Bonijuris. As alternativas estão sendo analisadas com olhar microscópico.

Impeachment

A Folha de S. Paulo contabilizou: o Brasil tem um novo pedido de impeachment de Jair Bolsonaro a cada 11 dias. São três por mês. Os processos se acumulam na Câmara dos Deputados.

Sem controle

A Corregedoria Geral de Justiça do PR bateu o martelo: os magistrados não se submetem a controle de ponto, mas devem comparecer às unidades judiciárias em horário de expediente. A consulta foi formulada pela OAB Paraná.

Assim falou Lênin

O ministro do STF, Edson Fachin, emulou Lênin ao afirmar que “a doença infantil do lavajatismo pode acabar, mas não a Lava-Jato”. É de autoria do líder russo o ensaio “Esquerdismo, doença infantil do comunismo”, publicado em 1920.

DIREITO EM PAUTA – 17 de fevereiro de 2021

MARCUS GOMES – marcusvrgomes@gmail.com