Turismo religioso, novos roteiros

503
Igreja de São Josafat, uma das atrações de Prudentópolis

Agência curitibana especializada em Turismo Religioso, a Domus Viagens, anuncia o lançamento, em novembro, de novos pacotes no segmento dentro do Paraná. Dois deles: Rota do Rosário e Prudentópolis e De Maringá ao Milagre dos Pastorzinhos, com saídas em abril de 2021. Pedro Kempe, titular da Domus, destaca que além do resgate da religiosidade do povo paranaense, as viagens contemplam informações sobre erva mate, mineração, ferrovias e colonização. E informa que outros roteiros estão sendo finalizados.

No âmbito nacional, a Domus anuncia três novos pacotes religiosos regulares como Círio de Nazaré; Passos da Irmã Dulce em Aracaju e Salvador; e Aparecida e São Paulo da Fé. No cenário internacional, lista peregrinações à Grécia e à Turquia, à Itália, a Israel, África do Sul e ao Caminho de Santiago.

A Domus atua também no turismo receptivo em Curitiba, com passeios a pé pelo Centro Histórico com seus destaques religiosos, aos parques, especialmente ao Bosque do Papa e a devoção a Nossa Senhora de Czestochowa, e leva ao passeio de trem pela Serra do Mar em direção ao litoral histórico paranaense.

Atrações da Nova Zelândia

Igreja de Árvores, na cidade de Ōhaupō

A Nova Zelândia é notória por suas paisagens exuberantes e cenários icônicos, como a árvore solitária do Lago Wanaka e o Hobbiton Movie Set, que preserva parte da iconografia dos filmes de O Senhor dos Anéis. Mas o país também esconde atrações bastante peculiares e curiosidades que merecem ser conhecidas. Confira algumas delas:

Igreja de árvores – Apaixonado pela arquitetura das igrejas e pela beleza natural das árvores, o fazendeiro Barry Cox decidiu que os jardins que ele estava criando na cidade de Ōhaupō, no centro da Ilha Norte, precisavam de uma igreja. Juntando suas duas paixões, ele então construiu uma a partir de árvores. Cox projetou uma estrutura de ferro e plantou árvores para crescer sobre ela. O resultado é um espaço natural cheio de luz e calor. O altar de mármore vem da igreja católica onde ele era coroinha. A “Igreja da Árvore”, inicialmente uma propriedade privada, foi aberta ao público em 2015. Com capacidade para 120 convidados, realiza todos os anos muitos casamentos.

Museu Hokonui Moonshine – Inaugurado em 2000, o museu foi construído para preservar uma história curiosa de contrabando e consumo de uísque durante os anos de proibição no século XIX. A viúva Mary McRae chegou ao distrito de Hokonui em 1872, vinda da Escócia com seus sete filhos e uma garrafa de uísque. Baseando-se nas gerações de destilação de sua família, seu produto rapidamente se tornou famoso por sua qualidade. Em 2021, o museu em Gore, na Ilha Sul, abrirá sua primeira destilaria operacional para produzir o Old Hokonui Moonshine – feito a partir da receita original – no local.

Museu do Mistério Natural – Em Dunedin, segunda maior cidade da Ilha Sul, fica localizado esse museu bastante peculiar. Seu dono, Bruce Mahalski, coleciona centenas de esqueletos de animais de todos os tipos, desde espécies exóticas do exterior a bichinhos de nosso dia a dia: gatos e cães, pássaros nativos, coelhos e gambás. O museu também abriga coleções de objetos culturais, livros vintage estranhos e outras curiosidades, muitas originárias da região de Otago. Para quem não se importar com os esqueletos à mostra no local, é possível até passar uma noite no museu. Literalmente: o local está disponível para locação no Airbnb com um aviso divertido – Mahalski garante que o lugar não é assombrado.

Vale Underhill – Situada em Waikato, na Ilha Norte, a casa de terra do Vale Underhill é uma experiência de conto de fadas. É esculpida na lateral da colina e parece uma toca de hobbit – mas bem mais romântica. As portas gigantes de madeira se abrem para um lago e caminhos privados que levam ao redor de seus terrenos paisagísticos. O casal Jessie e Craig Moon cuida e vive na propriedade junto com seus filhos pequenos. A casa de terra foi criada pelo pai de Jessie ao longo de muitos anos. Cada elemento foi feito à mão – até as dobradiças de ferro nas grandes portas de madeira. É possível se hospedar no local. (Com informações de Ideal H+K Strategies e Turismo da Nova Zelândia).

Mansão de novela

Casa de 1.600 m² fica no bairro do Joá, no Rio

A mansão que foi cenário da novela Laços de Família da TV Globo, exibida em 2000 e atualmente reapresentada em Vale a Pena Ver de Novo, está disponível para aluguel por temporada na Vrbo, a nova marca do AlugueTemporada no Brasil. Comporta até 10 pessoas e a diária custa, em média, R$ 9.100, podendo ser paga em até 12 vezes sem juros.

Construída nos anos 1970 no bairro do Joá, Rio de Janeiro, tem 1.600 m², vista panorâmica para a praia da Barra, mar de São Conrado e Pedra da Gávea, e ocupa um terreno de 3.000m². Ali, os hóspedes podem desfrutar de cinco suítes, uma grande sala de estar, varanda, seis banheiros e piscina. Um passeio virtual dos interessados pode ser feito em http://www.vrbo.com/pt-br/imovel/p4087721 .

A mansão é um dos mais de dois milhões de imóveis disponíveis para locação pela Vrbo no mundo, entre cabanas, condomínios, casas de praias e apartamentos.