Tesla projeta produção de carro elétrico a US$ 25 mil em três anos

273
Elon Musk afirma que nova tecnologia de baterias fará preço de seus modelos elétricos ficarem mais próximos dos motores a combustão

Em mais um de seus anúncios performáticos, com promessas que nunca acontecem tão rápido quanto ele prevê ou jamais acontecem, mas que costumam fazer subir o valor de mercado de sua fabricante de carros elétricos Tesla, desta vez Elon Musk afirmou que investe em uma nova tecnologia de baterias, “perto de funcionar”, que poderá viabilizar o lançamento de um Tesla por apenas US$ 25 mil em um prazo de três anos à frente, o que equipara o preço de um BEV (Battery Electric Vehicle) a um modelo com motor a combustão.

Em uma transmissão chamada de “Battery Day” (Dia da Bateria) realizada na terça-feira, 22, em um estacionamento lotado de modelos Tesla, Musk apresentou um novo tipo de células cilíndricas que, segundo ele, reduzem em mais de 50% os custos das baterias disponíveis atualmente, ao mesmo tempo em que armazenam cinco vezes mais energia, são seis vezes mais potentes e ampliam em 16% a autonomia de carros elétricos.

Musk havia convenientemente vazado para a imprensa um dia antes que o anúncio de hoje iria afetar todo o desenvolvimento de carros elétricos, mas o que se viu foi algo que ainda precisa ser provado. O resultado foi a queda de 5% na cotação das ações da Tesla durante o dia na terça-feira, retração que se ampliou para 7% à tarde, no horário estendido de negociações na bolsa.

A Tesla compra baterias da japonesa Panasonic, da chinesa CATL e de outras fabricantes. A empresa já enfrentou gargalos de fornecimento que atrasaram planos de lançamentos de novos modelos. Musk disse que pediu aos fornecedores para operar em “velocidade máxima”, mas ele mesmo admitiu que pode enfrentar falta do produto a partir de 2022, com o aumento previsto da produção de elétricos no mundo todo – e não só pela Tesla. Por isso a empresa também anunciou que investirá na fabricação própria de baterias nos Estados Unidos e na Alemanha, mas Musk antecipa que não será suficiente para abastecer a Tesla e suas projeções de crescimento.

Apesar da ameaça da crescente concorrência, a Testa ainda é a marca mais valiosa de carros elétricos, seu valor de mercado em bolsa superou todos os fabricantes tradicionais de veículos e este ano deverá apurar resultados positivos e expressivos. O preços das ações da empresa aumentaram oito vezes desde o anúncio de lucro trimestral há cerca de um ano, resultado que foi mantido desde então.

Apesar do forte impacto da pandemia de coronavírus nos negócios entre abril de junho, Musk projeta que as vendas da fabricante de carros elétricos devem fechar 2020 com crescimento entre 30% e 40%, um resultado admirável e surpreendente diante do que o executivo chamou de “ano mais difícil da existência da Tesla”.