Tem Sicupira nas páginas e na Pedreira no sábado

382

Escrita pelo jornalista Sandro Moser, a biografia Sicupira – Vida e Gols de um Craque Chamado Barcímio será lançada neste sábado, 3 de outubro, ao meio-dia, no Planeta Drive- In, na Pedreira Paulo Leminski, com a presença do maior artilheiro da história do Athletico Paranaense. A partir do domingo (4), o livro estará à venda nas redes sociais de Sicupira, na Amazon e em pontos de venda de Curitiba por 60 reais.

Os ingressos custam 60 reais por carro e dão direito a um exemplar autografado pelo biografado. Cada carro, por sua vez, pode levar até quatro pessoas, que poderão comprar seus livros sem sair do carro. E, no telão, vídeo de Sicupira relembrando momentos da sua trajetória esportiva.

Esse formato do evento foi concebido para permitir que o ídolo de 76 anos pudesse comparecer com segurança e interagir com os fãs, amigos e leitores em meio às restrições causadas pela pandemia.

Publicado pela Editora Banquinho, o livro (367 páginas, projeto gráfico de Lúcio Barbeiro) traz as origens das famílias dos pais de Sicupira e chega aos dias de hoje quando o “craque da camisa 8” segue como comentarista esportivo.

A biografia é ilustrada com dezenas de fotos do arquivo pessoal e de jornais e revistas de Curitiba, Rio e São Paulo e depoimentos de craques dos campos como Gérson e Rivelino e da imprensa como Galvão Bueno. Entre as novidades, o livro traz a catalogação de cada um dos gols marcados por Sicupira nos cinco clubes em que jogou na carreira. Em especial, os 158 gols que anotou durante oito temporadas no Athletico, entre 1968 e 1975.

Sandro Moser, ao defender que a história do craque interessa a todas as torcidas, diz: “O livro busca recriar desde a infância a vida dentro e fora do campo e de alguma forma mostrar as transformações que a cidade, o país e o futebol passaram nas últimas sete décadas”.

FOTO:JONATHAN CAMPOS / AGENCIA DE NOTICIAS GAZETA DO POVO

Resumo: Barcímio Sicupira Jr. nasceu na cidade da Lapa em 1944. Começou a carreira pelo Clube Atlético Ferroviário no final dos anos 1950, se transferiu para o Botafogo de Futebol e Regatas (RJ) em 1967 e para o Botafogo F. C (SP) em 1967. Em 1968, foi contratado pelo Athletico onde jogou por oito temporadas, conquistou o título de 1970 e marcou 158 gols. Em 1972, jogou no Corinthians (SP). Formado em educação física foi professor universitário e da rede municipal de ensino público. É comentarista de rádio e televisão desde 1976.

(A  Pedreira Paulo Leminski, neste sábado, vai abrir às 11h).