A produção saltará de 50 para 300 mil decodificadores por mês.

A chegada da televisão digital no país marcada para 2008 torna os proprietários de televisores analógicos consumidores potenciais de set–top-boxes, os decodificadores. Para atender ao aumento repentino na demanda deste aparelho, a Tecnoworld, fabricante nacional de placas e decodificadores, sai na frente e já aponta ampliação sua produção de decodificadores de 50 mil/mês para 300 mil/mês.  “Segundo o Ministério das Comunicações, no Brasil existem mais de 65 milhões de aparelhos de televisão, que se não forem trocados por receptores digitais, necessitarão do set-top-box para canais de TV aberta”, explica Cláudio Princz, gerente para integradores da Tecnoworld. A expertise na tecnologia e a vantagem da fabricação local dos decodificadores dão à Tecnoworld vantagem na corrida por espaço neste novo segmento. “A concorrência será acirrada, mas vale a lei da oferta e da procura. Quanto maior a produção, menor o custo para o consumidor final e esse é o objetivo da companhia. Para isso, estamos abertos a negociações, tanto com varejistas como com canais de distribuição corporativa”, conclui Princz. Sobre a Tecnoworld:A Tecnoworld é uma empresa totalmente brasileira e de capital privado, que produz em sua unidade fabril de Manaus (AM) várias linhas de produtos: terminais thin clients, notebooks, placas em geral e decodificadores. No final de 1999 uniu-se à Flex Industries, uma das maiores empresas especializadas na fabricação de produtos de Tecnologia da Informação e comunicação de dados na zona franca de Manaus. A partir da data surge o Grupo Tecnoworld/Flex, com faturamento anual de cerca de R$ 200 milhões e 1700 funcionários, distribuídos pelo escritório de São Paulo e suas três plantas fabris.O objetivo da companhia, líder em thin clients no Brasil com 67% do parque instalado (220 mil máquinas), é atender o mercado com produtos de alta tecnologia e agilidade devido à produção no país. Mais informações. Acesse ao site: www.tecnoworld.com.br