Entre os dias 19 a 23 de setembro, a turnê de “Os Sertões”, saga narrada por Euclides da Cunha e transposta para os palcos, chega ao Recife.



A montagem é dividida nas peças “A Terra” (dia 19/09), “O Homem 1” (dia 20/09), “O Homem 2” (dia 21/09), “A Luta 1” (22/09) e “A Luta 2” (23/09).

Depois do sucesso em Salvador, no Museu do Ritmo (05 a 09 de setembro), em Recife, o Teatro Oficina está sendo reconstruído no Cais do Porto. As apresentações em Recife só são possíveis devido ao patrocínio da Petrobras, que também mantém a companhia Teatro Oficina, e ao co-patrocínio da FUNDARPE e da Prefeitura de Recife.

No total são 26 horas de encenação, por uma equipe de 70 pessoas, que coloca o pé na estrada carregando cinco toneladas de cenário e objetos de cena e 2,5 mil figurinos. No palco estarão 47 atores, músicos, dançarinos e atores mirins do Movimento Bixigão, mais dois câmeras ao vivo, quatro contra-regras e, nos bastidores outros 17 profissionais entre iluminadores, sonoplastas, VJs, produtores, camareiras e pessoal de apoio.

O diretor de arte Osvaldo Gabrielli, faz chover areia no sertão e coloca ator para voar em cena. Foram confeccionadas cerca de 70 réplicas de armas de fogo, entre espingardas utilizadas no final do século XIX e 30 metralhadoras modernas, como AK47 e fuzis americanos, utilizados na Guerra do Golfo e mais pistolas de época, como manlincher, comblaein, modelos utilizados pela Gestapo alemã, além de clavinotes antigos (com boca de sino). O destaque fica por conta da Matadeira. Levada pela expedição nacional ao sertão baiano, o canhão 32 desenhado pelo diretor de arte tem sua estrutura toda feita em ferro e pesa cerca de meia tonelada. A forma é a do Globo Higth Tech puxado a carro de bois, com a erupção de um cano apontado para o inimigo do país de dentro. O sistema de transmissão de vídeos captados e editados ao vivo permite projeções em diversos locais: chão, teto, paredes. Imagens diferentes são exibidas simultaneamente. A novidade é a inclusão de projeções de cinema de 35 milímetros, com cenas especialmente filmadas para o espetáculo.

A equipe de viagem de “Os Sertões” fica completa com a entrada em cena de 15 adolescentes de grupos de teatro de Recife, que serão treinados nas cinco peças por meio de uma oficina aplicada pelos atores Camila Mota, Freddy Allan e Zé de Paiva. Além disso, haverá o reforço das equipes técnicas de Recife, que serão integradas para transformar o espaço numa terra sertaneja.

“Estamos reproduzindo o Teatro Oficina, elevando pista para criar um corredor subterrâneo e galerias para instalação de arquibancadas para aumentar a capacidade de público para o mais próximo possível de 1.000 lugares como já fizemos em 2000, quando trouxemos Cacilda! em nossa última passagem por Recife”, sinaliza a produtora da companhia, Ana Rúbia de Melo.

Em continuação à viagem, as peças serão encenadas no Rio de Janeiro, entre os dias 2 e 14 de outubro no Rio Cena Contemporânea.

 

SERVIÇO:

  • “Os Sertões”
  • Texto: baseado na obra de Euclides da Cunha
  • Direção: José Celso Martinez Corrêa
  • Encenação: Companhia Teatro Oficina Uzyna Uzona
  • Datas: 19 a 23 de setembro
  • Horários: de 4ª à 6ª feiras,  às 20 horas – sábado e domingo, às 18 horas
  • Local: Cais do Porto – ao lado do Teatro Armazém 14 – av. Alfredo Lisboa, no Recife Antigo
  • www.teatroficina.com.br