SUGESTÕES e HARMONIZAÇÕES DE VINHOS PARA NOSSO INVERNO

326

Caldeirada de tainha maravilhosa, sugestão de seu Sommelier Osvaldo Nascimento Juniors.: o autor da Coluna, feita com maestria por minha esposa Evelyn numa noite de iguarias, com um vinho branco chileno Carta Vieja, Sauvignon Blanc premiado safra 18.

Como estamos vivendo já um verdadeiro inverno, muitos leitores de nossa Coluna VINVM VITA EST do DIC, www.icnews.com.br, alunos dos cursos,  palestras que ministramos, me perguntam qual o vinho para estas épocas mais frias na nossa musa congelante Curitiba, quais combinam melhor com os pratos servidos. Vinho branco vai com peixe e carne Vermelha vai com vinho tinto? Nem tanto! É necessário fazer uma análise do prato e vinho para buscar seus elementos principais, vinhos leves. Aquilo que dá seu sabor. Não ha muito mistério na hora de harmonizar vinho e comida, mas pequenos cuidados devem ser tomados, como por exemplo, analisar o peso e a textura tanto do vinho quanto da comida. A regra é simples: pratos leves devem acompanhar vinhos leves, que tanto podem ser brancos, rosados ou tintos. Pratos ácidos devem acompanhar vinhos leves e bem frescos. Pratos gordurosos e untuosos precisam de vinhos com tanino potente e acidez alta. Vamos exemplificar com algumas uvas mais procuradas pelo consumidor curitibano e paranaense e suas harmonizações.

TIPOS DE UVAS E COMBINAÇÕES

CABERNET SAUVIGNON: É uma uva muito prestigiada no mundo, originaria da região francesa de Bordeaux, atualmente cresce em todos os continentes, pois se adapta com facilidade. Os vinhos obtidos a partir desta uva têm coloração intensa e brilhante, com aromas que lembram frutas vermelhas, como morango, framboesa e amora. É a segunda uva mais plantada no Brasil. ACOMPANHA: carnes em geral, massas com molho à bolonhesa, sopas e pizzas. Pode ser servido com queijos como Gouda e Gruyère… MERLOT: É uma uva muito plantada no Brasil e tem apresentado as melhores safras nesta década, produzindo excelentes vinhos, caminhando para ser a uva emblemática do Brasil. Tem coloração intensa, brilhante de corpo e envelhecimento médio. Seus aromas são frutados e florais, lembrando cravo, canela, frutas secas e geleias. Otima harmonização como perdiz, carne de suíno, massas ao pesto, pizza calabresa, filé à milanesa e outras carnes bovinas, como a maminha grelhada. MALBEC: Faz um vinho de cor vermelho bordô de excelente concentração e equilíbrio na boca, sobressaindo os taninos doces, combinados com sabores que lembram geléia, Tem boa permanência no paladar. Originária do sudoeste da França, da região de Cahors. Seus melhores resultados vieram da Argentina, em especial na região de Mendoza, Luan de Cuyo, hoje seu maior produtor mundial onde produz um vinho escuro, de aroma vivo e sabor redondo. Amadurece bem em carvalho, carnes de cordeiro, carnes vermelhas, risoto ao funghi e queijos amarelos não muito salgados.CARMENÉRE: Vinho de cor intensa, com tonalidades de vermelho rubi, púrpura e violáceo. Possui aromas de cassis, passas, trufas e geleias de frutas. Faz um vinho de corpo médio, com taninos suaves e maduros. Podem ser compartilhados com massas com molho à bolonhesa, carnes sopas, cremes ou pizzas. Ideal para os queijos Camembert e Gouda. É a grande estrela do Chile, seu maior produtor mundial, também originária da França, com o nome de Grand Vudure. Estas uvas são as mais procuradas, mas temos dezenas que podem ser indicadas; as italianas como a SANGIOVESE, a uva emblemática da Itália,o sangue de Jupiter casta de uva tinta de grande qualidade, amplamente utilizada na região central da Itália, em especial na Toscana, na elaboração dos decantados vinhos CHIANTI e no BRUNELLO DE MONTALCINO, a TOURIGA NACIONAL a uva emblemática portuguesa tinta e ALVARINHO, branca, e TEMPRANILO, tinta, emblemática, a alma da Espanha  Eproduzida na região de Rioja, a uva TANNAT, francesa que se adaptou muito bem no Uruguai, sua uva emblemática com taninos potentes, com maior índice de resveratrol, o parafenol que desentope as arterias e com uma serie de benefícios à saúde com taninos tão potentes que merecem ser degustadas. Como dissemos acima, nem sempre a regra pratos leves ou peixes acompanham vinhos brancos e pratos mais pesados ou gordurosos vinhos tintos, vamos aqui exemplificar: ao degustar um Salmão, Atum e peixes gordurosos de água doce, são ideais para tintos leves como a PINOT NOIR, VALPOLICCELA e BAROLO, italianos e o grande BEAUJOLAIS da BORGONHA, isto mesmo, no mundo do vinho é assim, uma experiência em cada garrafa, procure descobrir sempre novas emoções vínicas.

SUGESTÃO DE SEU SOMMELIER PARA ESTE INVERNO

A TAINHA, este peixe maravilhoso que reina no nosso inverno, no litoral sul do Brasil, vindo da Argentina, fugindo das águas geladas da Paragonia,entrando na Lagoa dos Patos, no RS, e subindo o Oceano Atlantico para desovar em aguas mais quentes como nosso sul(vide nossa  matéria histórica em nossa Coluna no DIC,www.icnews.com) maravilhoso,preparada ao forno, na grelha, na folha de bananeira, na telha, ou em tantas outras maneiras sempre ovadas, nosso caviar, pouco lembrada pelos nossos grand chefs, mas muito bem elaboradas pelos nossos chefs caseiros em suas grelhas ou fornos caseiros como eu, ou bares e restaurantes de nosso litoral, aceita um tinto leve como a Pinot Noir, Tempranilo espanhol, Merlot, Carmenere e para os fãs do branco um Chardonnais. Bom proveito a todos neste inverno degustando grandes e maravilhosos vinhos, e lembrando que o vinho tinto é a unica defesa natural contra o Covid, .

EVOE. Brado de saudação a Dionísio e Baco por seus súditos.Wein in moderation, Art de Vivre.

Osvaldo Nascimento Juniors.: