Startup Tradu lança marketplace inédito que conecta tradutores e intérpretes 

1782

Rodrigo Bonet: “projeto  pioneiro neste nicho de mercado. Construímos tudo do zero e aprendemos muito com cada passo”

A capital paranaense foi o local escolhido para lançamento de um marketplace inédito que conecta tradutores e intérpretes profissionais com o mercado de tradução.

A iniciativa é da startup Tradu que visa  simplificar o acesso a profissionais qualificados para atender a crescente demanda do mercado por reuniões internacionais online que necessitam de tradução e interpretação.

O curitibano Rodrigo Bonet, sócio-fundador da plataforma, que é intérprete e tradutor há mais de 20 anos, observou aumento de mais de 50% na procura pelo serviço em ambiente online no período da pandemia, razão que o fez identificar uma lacuna de mercado carente de oferta de profissionais, motivo que o fez apostar no negócio.

Bonet explica que tem uma conexão muito forte com a cidade, que foi onde nasceu e onde a sua família toda reside, mas que também é escolhida pelas empresas para avaliar os seus produtos. “Curitiba é conhecida como uma ‘Prova de Fogo’ para novas marcas e produtos. Queremos aproveitar essa fama de consumidor crítico e exigente da capital para termos a percepção da aceitação do nosso negócio”.

A startup começou o processo há um ano, quando aceitou pelo edital da Cordel Ventures, uma aceleradora cearense que aposta em startups de tecnologia. “Pelo fato do projeto ser pioneiro neste nicho de mercado, não tivemos referência ou modelos para seguir, o que o tornou ainda mais desafiador. Construímos tudo do zero e aprendemos muito com cada passo”, observa Bonet.

Com investimento em torno de R$ 150 mil e um banco com mais de 100 profissionais qualificados para realizar serviços em idiomas como inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, mandarim, árabe e japonês, a Tradu (www.tradu.com.br) entra no mercado  visando  facilitar a conexão entre empresas que precisam dos serviços de tradução de texto e interpretação simultânea, mas não sabem onde encontrar esses profissionais, tradutores e intérpretes profissionais. Os serviços podem ser contratados tanto para o online como off-line.

Basta acessar o link  www.tradu.com.br e fazer a cotação.

Rodrigo Bonet é Ceo  e co-founder da Tradu. Nascido em Curitiba no dia 17 de dezembro de 1974, segunda geração de brasileiros, neto de imigrantes poloneses e espanhóis. Imigrou com seus pais para Montréal no Canadá no ano 1982, onde morou durante 16 anos e aprendeu  inglês e francês. Formou-se em Arquitetura e Urbanismo pela Concordia University em 1996. Voltou para o Brasil e trabalhou como tradutor e intérprete desde 1998.

É Tradutor e Intérprete Público da Junta Comercial do Estado do Ceará (JUCEC) desde 2010 e membro efetivo da APIC (Associação Profissional de Intérpretes de Conferência) desde 2014. Já participou de mais de 1.300 trabalhos de interpretação dos quais destaca: preparativos para a Copa do Mundo 2014 com a FIFA e CBF, participação em vários congressos e simpósios e várias reuniões da OCDE, que o levaram a países como a Nova Zelândia, Croácia, Turquia, Estados Unidos, África do Sul, Finlândia, República Tcheca, Dinamarca e Áustria. Atualmente mora em Fortaleza (CE) com sua esposa e filho.

Domakoski reeleito presidente do Movimento Pró-Paraná

Marco Domakoski: “Sem ideologias ou partidarismos, seguiremos pautados por ações concretas”.

O engenheiro e empresário Marco Domakoski foi reeleito presidente do Movimento Pró-Paraná para o biênio 2021/2023 na quarta-feira (15/9). Encabeçada por Domakoski, a chapa única, que indicou mais onze nomes para a diretoria e outros para os conselhos superior, deliberativo e fiscal foi eleita por aclamação, unanimemente. Na presidência da mesa , o professor Zaki Akel Sobrinho, reconduzido à coordenação do Conselho Deliberativo, anunciou que a posse dos eleitos será no dia 30 de setembro.

Domakoski ao agradecer a recondução no cargo, disse que “Sem ideologias ou partidarismos, seguiremos pautados por ações concretas. Todos os associados merecem um voto de louvor pela persistência e pelo empenho em seu trabalho pelo estado. Vamos seguir tratando dos assuntos que são importantes para o desenvolvimento do estado nos campos cultural e infraestrutural. E atuaremos também em duas novas áreas: a educação e a integração do Sul do Brasil, em parceria com os estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul e o apoio do BRDE”. O advogado José Lucio Glomb seguirá como coordenador do Conselho Superior. Compõem também a diretoria Mário Pereira (1º vice-presidente), Orlando Pessuti (2º vice), Cleverson Marinho Teixeira (3º), Arnaldo Miró Rebello (4º) e Nelson Luiz Gomez (5º), Rafael de Lala Sobrinho (diretor secretário), Jaime Sunye Neto (diretor financeiro), Luiz Alberto Gomes (diretor de relações institucionais), Rosane Gil Kolotelo Wendpap (diretora de eventos), Kelso Krieger e Luís Roberto Dantas Bruel

Oi Fibra amplia serviço no Paraná 

Giovani da Silva: “ foco na expansão da fibra ótica com capacidade para atender a maior demanda”

A Oi Fibra, serviço de internet, TV (IPTV) e telefonia fixa (VOIP) em fibra ótica, chega a mais uma cidade paranaense. Os moradores de Piraquara, cidade localizada na região Metropolitana de Curitiba, já podem usufruir dos serviços em 54 bairros.  A Oi Fibra, que leva a internet até a casa do cliente (FTTH – Fiber To The Home), garante mais robustez na velocidade e estabilidade na conexão. A companhia já oferece a Oi Fibra nas cidades de Almirante Tamandaré, Araucária, Cascavel, Colombo, Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina, Maringá, Medianeira, Palmas, Paranaguá, Pinhais, Ponta Grossa e São José dos Pinhais. No estado, a Oi conta com mais de 345 mil clientes de Oi Fibra e mais de 1,25 milhões de casas aptas para receber o serviço.  “Com foco na expansão da fibra ótica a Oi tem capacidade para atender a maior demanda dos piraquarenses por banda larga de alta velocidade, com a melhor experiência de conectividade e serviços digitais”, afirma Giovani da Silva, diretor de Varejo e Empresarial da Região Sul.

Quadros digitais  em salas  de aula

A ideia  dos quadros digitais, é pioneira no Paraná. A escola digital não veio para substituir a presencial e sim para somar diz a pedagoga Rozana Vicentin

Prova de inovação e uso da tecnologia como um meio para o ensino, vem do município de Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba. O Colégio COC Beraldo tem oportunizado aos alunos uma experiência inédita em todo o período de pandemia.

Uma das estratégias inovadoras foi a adoção de quadros digitais integrados a uma plataforma de última geração, disponíveis em todas as salas de aula, em substituição ao tradicional quadro de giz. A ideia é pioneira em todo o Paraná e, conforme a coordenação/direção, teve o objetivo de encurtar distâncias, já que a escola, que atende desde a Educação Infantil até o Terceiro e Pré-Vestibular, funciona neste momento no modelo híbrido. A proposta do digital é projetar o mesmo conteúdo dos livros e/ou das apostilas, garantindo que todos os alunos, em casa ou na escola, acompanhem ao mesmo tempo o conteúdo. enaltecendo mais uma vantagem da plataforma.

“A escola digital não veio para substituir a presencial e sim para somar. Mesmo num futuro onde as aulas presenciais diárias retornem, a tecnologia se fará cada vez mais presente e será aliada, proporcionando o acesso dos alunos às aulas em momentos de necessidade, além de facilitar a retomada de conteúdos, materiais de reforço e acompanhamento de atividades e provas, pelos alunos, pais e professores”, conclui a pedagoga e coordenadora da unidade do COC Beraldo a coordenadora e Rozana Vicentin.