SEM SURPRESAS

246

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central fez o esperado na última quarta-feira elevou a taxa Selic de 5,25% para 6,25% ao ano. Alguns analistas apostavam em aumento maior, mas não foi o que aconteceu. A tendência é de que os juros continuem subindo para tentar acalmar a inflação. O próprio Copom já adiantou que a tendência para a próxima reunião é de um novo aumento de um ponto percentual.

CENÁRIO

No cenário básico apresentado pelo BC, as projeções apontam inflação de 3,7% em 2022 e 3,2% em 2023. Esse cenário pressupõe a Selic extraída da pesquisa Focus, terminando 2021 em 8,25%, 2022 em 8,5% e 2023 em 6,75% ao ano. Por sua vez, as estimativas para a inflação de preços administrados estão em 13,7% em 2021, 4,2% no ano que vem e 4,8% em 2023.

COMPRA DA HEMMER

A multinacional Kraft Heinz, a quinta maior empresa do mundo em alimentos e bebidas anunciou a compra da Hemmer, tradicional fabricante de condimentos, conservas e molhos, sediada em Blumenau (SC). O valor da transação não foi divulgado. Juntas, Kraft Heinz e Hemmer alcançam uma receita líquida de quase R$ 1,8 bilhão — tomando por base os dados do ano passado, quando os catarinenses reportaram R$ 374,4 milhões em vendas.  A Heinz foi adquirida pelo grupo brasileiro 3G e depois se uniu à Kraft. A transação de compra da Hemmer ainda depende de aprovação do Cade, o que pode levar de quatro a seis meses.

EFEITOS DA CHINA

Com a China “pisando no freio” em relação à sua economia, os efeitos começam a ser sentidos em vários segmentos econômicos. A indústria siderúrgica chinesa reduziu em 13% a produção de aço no país, o que resulta em queda mundial de 1,4%, de acordo com World Steel Association. O volume de agosto foi de 156,8 milhões de toneladas, reunindo informações de 64 países produtores de aço. No acumulado de 2021, que somou 1,32 bilhão de toneladas, a produção global de aço bruto ainda mostra crescimento de 10,6% sobre o mesmo período do ano passado.

NO BRASIL

Conforme a Worldsteel, o Brasil reportou aumento de 14,1% na produção de agosto, com 3,1 milhões de toneladas. No acumulado do ano, o volume foi de 24,1 milhões de toneladas, com acréscimo de 20,9% sobre mesmo período de 2020. A previsão do Instituto Aço Brasil, que reúne as fabricantes locais, é de 36 milhões de toneladas de aço bruto em 2021.

ENSINO A DISTÂNCIA

Paraná e Santa Catarina reúnem os maiores grupos brasileiros de ensino a distância. Seis instituições de porte neste setor estão nos dois estados: Unopar, Uniasselvi, Uninter, UniCesumar, Fael e Unisul. Estes grupos reúnem 1,5 milhão de alunos, que representam 51,5% do total de alunos no Brasil matriculados em instituições de ensino a distância. Destas instituições, apenas a Uninter não foi adquirida por outros grupos. A Fael, por exemplo, foi criada na Lapa pelo ex-ministro Luiz Carlos Borges da Silveira, mas foi vendida em 2014 e neste ano foi adquirida pela SER Educacional. Hoje o Brasil tem 3 milhões de alunos matriculados no ensino presencial e 2,94 milhões no ensino a distância.

AMAZON

A Amazon vai instalar o seu terceiro centro de dados no Brasil. Com dois centros funcionando em São Paulo e no Rio de Janeiro, agora a gigante varejista vai construir um novo local em Fortaleza, no Ceará. A Amazon já tem dez centros de distribuição no país em estados como São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Pernambuco, além do Distrito Federal. A empresa prepara um novo centro de distribuição em Itaitinga (CE).

KLABIN

Morreu, na última quarta-feira, o empresário Armando Klabin, aos 88 anos. Ele era o presidente do conselho de administração do Grupo Klabin, o maior produtor e exportador de papéis do Brasil. A Klabin foi fundada em 1899. Armando pertenceu ao conselho de administração da empresa desde que ele foi criado em 1979. Armando Klabin foi diretor da Firjan (Federação da Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) de 1995 a 2001.

CARNE BOVINA

A China ainda não voltou a retomar os embarques de carne bovina brasileira, após o anúncio de possíveis casos do “mal da vaca louca” em frigoríficos de Minas Gerais e Mato Grosso. A interrupção foi feita espontaneamente pelo lado brasileiro para investigação dos casos. A interrupção completa 21 dias nesta sexta-feira. Em 2019, um caso atípico do “mal da vaca louca” foi registrado no Brasil, mas a interrupção de comércio durou apenas 13 dias. A Organização Mundial de Saúde Animal já declarou que os casos registrados no Brasil não representam riscos sanitários ao rebanho nacional.

BRASIL-COLÔMBIA

O Brasil e a Colômbia iniciaram nesta semana, uma importante etapa para implementação do certificado de origem digital (COD) nas operações de comércio exterior. O certificado de origem digital (COD) é mais uma facilidade oferecida pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) para que as exportações aconteçam com mais agilidade e alcance.

PROJETO PILOTO

O projeto piloto com a Colômbia terá uma duração prevista de 30 dias e ficará disponível para todas as empresas exportadoras participarem. Após esse período, caso não haja prorrogação, a Fiesp deverá aguardar a conclusão das tratativas e a informação oficial de término da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia para, assim, passar a disponibilizar o COD de maneira plena no comércio preferencial com a Colômbia. Este projeto piloto serve para que a Colômbia também passe a aceitar a versão digital dos certificados de origem (COD). É durante o piloto que as autoridades aduaneiras mapeiam oportunidades de melhorias no processo digital e avançam para a utilização plena, trazendo facilidade, agilidade e mais segurança para todos os envolvidos com o comércio preferencial entre o Brasil e a Colômbia.