A Secretaria de Obras Públicas administra atualmente 793 obras em todo o Estado, realizadas com investimentos de aproximadamente R$ 400 milhões.

São mais de 470 mil metros quadrados entre projetos, reformas e obras em execução. Desde 2003, a Secretaria executou 3.418 obras, entre reformas e construções. “O desafio da nossa Secretaria é executar obras de qualidade, que tenham custo adequado e preço justo, trabalhando com racionalidade e transparência” afirmou o secretário Júlio César de Souza Araújo Filho, na Escola de Governo desta terça-feira (21).

O secretário destacou ainda os novos procedimentos da Secretaria para tornar mais ágil a contratação de obras pelas Secretarias de Estado e órgãos da administração direta e indireta. A Secretaria de Obras trabalha hoje para a contratação de projetos completos com as devidas licenças prévias e de instalação, respeito às legislações ambientais e normas de acessibilidade a edificações e mobiliário.

Araújo anunciou a revisão do sistema de preços da Secretaria e dos editais de concorrência e reavaliação das empresas contratadas a fim de tornar o trabalho mais rápido, reduzir atrasos e aditivos de serviço e de valor. O foco é a agilidade de todos os processos, respeitando as necessidades técnicas de cada projeto. O governador Roberto Requião reforçou a necessidade de toda solicitação de obras ser acompanhada dos projetos fechados. “Isso para termos licitações corretas e sem futuros aditivos e paralisação de obras”, disse.

Nesse sentido, a secretaria está reformulando o site De olho na obra, em parceria com a Celepar. A nova página receberá o nome de Foco na Obra e terá informações sobre obras em andamento e concluídas, com relatórios e fotos atualizados periodicamente por fiscais das 14 regionais da Secretaria.

Residência – Requião lembrou a importância do programa de residência técnica, para recém-formados em engenharia e arquitetura. Esse programa atende a estudantes do primeiro curso de especialização em obras públicas da UFPR, com duração de 24 meses. “É oportunidade do primeiro emprego ao formando de engenharia e arquitetura e atende à demanda da Secretaria por profissionais”, completou Araújo. Segundo ele, hoje, trabalham em 18 engenheiros civis, 35 arquitetos e 1 tecnólogo, distribuídos nas várias áreas da Secretaria.

Os recém-formados recebem capacitação técnica em projetos e construção de obras públicas e ajuda financeira de R$ 1.140,00 a chamada bolsa auxílio. Segundo o governador, o programa deverá ser estendido a todas as outras secretarias sob coordenação da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

O secretário também apresentou a estrutura da Secretaria, dividida em 14 regionais. Ele mostrou as metas da Política de Desenvolvimento do Estado (PDE), o PAC do Paraná, no âmbito das obras públicas, destacando os investimentos em cada região do Estado, em construção de obras em parceria com as diversas secretarias e órgãos da administração direta e indireta.