Renault tem que reverter demissões

268

O deputado Luiz Cláudio Romanelli insiste na reversão das demissões feitas pela Renault. Mostra que a lei obriga a montadora a manter o nível de emprego e veda a dispensa. “A Renault tem que comprovar que não consegue manter a atividade econômica. A expectativa é que as tratativas que serão feitas pelo governador Ratinho Jr  possam iniciar uma nova fase, construindo uma solução onde o Estado participa da negociação, além do sindicato dos metalúrgicos e a própria Renault. O governo quer que haja um processo de negociação”.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) enviou expediente ao secretário da Fazenda, Renê Garcia Junior, arguindo se a Renault está cumprindo com a lei dos incentivos fiscais do Paraná. Ao demitir 747 trabalhadores da unidade de São José dos Pinhais a Renault rompeu com a lei 15.426 de janeiro de 2007.

Romanelli e o presidente do sindicato dos metalúrgicos, Sérgio Butka, foram recebidos pelo governador Ratinho Jr que, segundo o deputado, “está muito empenhado na manutenção dos empregos dos paranaenses”. O governador é autor, durante seu mandato no legislativo, da lei 15.427.

É fake news.

Não há convenção do PSD agendada. Notícia mentirosa diz que o PSD (Partido Social Democrático), o PSC (Partido Social Cristão) e o PEN (Partido Ecológico Nacional) realizam convenção conjunta neste sábado, das 9 horas da manhã, as 13 horas; no Clube Urca para formalizar a coligação majoritária entre as três legendas e lançar o nome do deputado Ney Leprevost como candidato a prefeito de Curitiba.

Moro por Dallagnol

Um pedido de afastamento do procurador Deltan Dallagnol da força-tarefa da operação Lava Jato mobilizando adeptos de Sergio Moro. Kátia Abreu pediu o afastamento do procurador porque acredita que os processos a que Deltan responde e os métodos podem comprometer o futuro da investigação.

Saldo positivo

Pela primeira vez desde que a pandemia do coronavírus começou a se alastrar pelo Brasil, o Paraná conseguiu fechar um mês com mais contratações do que demissões. Em junho, conforme dados divulgados pelo Ministério da Economia, o estado registrou um total de 72.771 admissões ante 69.942 desligamentos, com saldo de +2.829.

Apesar da peste

Desde fevereiro o Paraná não alcançava um resultado positivo no Caged. Entre março e maio foram fechados 96.539 postos de trabalho, com saldo de -13.078 em março, -58.740 em abril e -24.721 em maio. Considerando todo o primeiro semestre, o saldo ficou negativo em 47.070, com 541.059 admissões e 588.129 desligamentos.

Fator Dória

O rompimento formal do DEM e do MDB com o centrão na Câmara dos Deputados, consumado na segunda (27), vai além da disputa pela presidência da Casa. A montagem de uma candidatura de centro para a Presidência em 2022, hoje focada na figura do governador João Doria (PSDB-SP), é o pano de fundo para a movimentação disparada pelo atual chefe da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Preço alto

Em quatro meses, o Governo do Paraná gastou R$ 208,8 milhões em despesas pagas referentes ao combate à pandemia de Covid-19, segundo dados do Portal da Transparência. Apesar da pandemia estar voltada diretamente para área da saúde, até agora, as maiores despesas estão atreladas ao setor de assistência social, em especial, à compra de alimentos. Isso ocorreu em dois dos três órgãos públicos que mais gastaram.

Prejuízo da estiagem

A seca prolongada na Região Sul provocou um prejuízo de R$ 26,1 milhões nos municípios do Paraná de 2019 a 2020. Os dados constam do estudo, elaborado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), que avaliou os efeitos negativos causados por esse desastre no sul do Brasil. O Paraná, contudo, é o estado menos afetado. Pelo levantamento, que compreendeu o período de 1º julho de 2019 a 9 de julho de 2020, o Rio Grande do Sul foi o Estado mais afetado, com R$ 14,4 bilhões em prejuízos – o que representa 93,4% do total da região. Santa Catarina perdeu R$ 989,9 milhões.

Atrás das grades

A vereadora de Curitiba Fabiane Rosa (PSD), presa em uma investigação sobre a prática do esquema de ‘rachadinha’ dentro do gabinete, foi transferida para a Penitenciária Feminina de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Fabiane foi presa pelo Gaeco, do Ministério Público do Paraná. Segundo as investigações, ex-funcionários da parlamentar fizeram a denúncia ao Gaeco, afirmando que eram obrigados a devolver parte dos salários para a vereadora.

Agosto sem aulas

A Prefeitura de Curitiba prorrogou mais uma vez a suspensão das aulas presenciais na rede municipal de educação por conta da pandemia de coronavírus. Desta vez, a suspensão vai até o dia 31 de agosto.  As aulas estão suspensas para os cerca de 140 mil alunos  desde o dia 23 de março.  A medida vale para escolas, Centros Municipais de Atendimento

Teto de gastos

A disputa por mudanças no teto de gastos se transformou numa verdadeira guerra dentro do governo. Tentativas de flexibilizar a regra que amarra o crescimento das despesas à variação da inflação têm partido de integrantes do próprio Executivo e servido para encorajar parlamentares e entidades na defesa por mais gastos. Lideranças do Congresso já se articulam para buscar uma alternativa para elevar investimentos em infraestrutura neste e nos próximos anos;

Na lona

Pesquisa do Sebrae mostrou que, no Brasil, depois da Covid-19, 25% dos bares, restaurantes, lanchonetes e cafés reduziram a zero seu faturamento. 29% sofreram queda superior a 75% nas receitas. No período, um em cada quatro (27%) fecharam as portas temporariamente, 4% em definitivo. Sete em dez não aguentam mais de dois meses na atual conjuntura; 45% já demitiram. O setor de alojamento e alimentação está ainda com 23,1% dos funcionários afastados; o comércio, com 12,8%.

Tirando da gaveta

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, quer retomar o programa de construção de presídios federais, que acabou relegado a segundo plano na gestão de Sérgio Moro. Estuda a instalação de três penitenciarias de segurança máxima no Sul, cada uma com capacidade de cerca de mil detentos. A construção e gestão do presídio ficaria a cargo de uma PPP e a segurança por conta do Estado, por meio de guardas penitenciários.

 

Melhor construir

Ainda os presídios: erguê-los não é um trabalho de Hércules, do ponto de vista fiscal. Na média, o Ministério da Justiça estima um custo em torno de R$ 50 mil por preso, o que daria algo como R$ 150 milhões no total. É pouco perto do que o governo teria de investir para reduzir o déficit carcerário do país. Para isso, teriam de ser abertas mais de 250 mil vagas, ao custo de R$ 12,5 bilhões.

 

Resistência

A proposta dos três presídios enfrenta resistência dentro do próprio Ministério, mais precisamente do Conselho de Política Criminal e Penitenciária. Parte do colegiado estaria questionando o sistema de administração compartilhada. De fato, essa solução não é das mais inspiradoras. Modelo similar foi adotado no Complexo Anísio Jobim, em Manaus, no qual morreram 75 presos em duas rebeliões, uma em 2017 e outra em 2019. Outro ponto contestado é a falta de critério geográfico de Mendonça.

 

Em Guaíba

Por outro lado, o governo do Rio Grande do Sul fará uma nova tentativa para retomar as obras de construção de um presídio em Guaíba, com 672 vagas. O Palácio do Piratini busca um construtora disposta a investir 18 milhões que faltam para a conclusão do projeto, uma novela carcerária que se arrasta desde 2010. O governo não quer tirar dinheiro do caixa; quer pagar a obra com cessão de imóveis.

 

Esforço

O esforço publicitário do grupo de venda de automóveis de Carlos Alberto de Oliveira Andrade é jamais visto na história do segmento. Agora, ele  tem 9 páginas diárias em grandes jornais, misturando carros da chinesa Chery com a coreana Hyundai. Os produtos são Tiggo 5x, Arrizo 6, Tiggo (China) e Tucson ix 35, Santa fé, Azera, HB2O, Creta (Coreia).

 

Cotados

Rubens Novaes acabou confessando que quer deixar o BB por não aguentar “cultura de compadrio e corrupção”. Para substitui-lo a equipe econômica quer uma solução interna. São cotados Hélio Magalhães, presidente do Conselho de Administração do Banco do Brasil. Mauro Neto e Pedro Guimarães, presidente da Caixa. Detalhe: Novaes mantém relações muito amistosas com Olavo de Carvalho.

 

Boquinha

Rubens Novaes conversou com Paulo Guedes, da Economia pedindo um presente para celebrar seus 75 anos (22 de agosto), trocar Brasília pelo Rio, onde permaneceria como assessor especial do ministro. Perto dos netos e longe da cultura planaltina.

Retrato 1

O Brasil tem uma população de 24% de pessoas com deficiência e somente 6,7% chegam ao ensino superior.

Retrato 2

Desde o início da pandemia, morreram cerca de dois médicos por dia por coronavírus, em todo território nacional. Mais: da indústria de respiradores que o país chegou a ter nos anos 80 e ensaiou reconstruir nos anos 2000, sobraram apenas quatro empresas, que hoje não conseguem atender nem 20% das necessidades nacionais.

Frases

“É preciso deixar as guerras de lado. É ruim para os Poderes e pior para o governo. Ninguém aguenta briga todos os dias.”