Os Portos de Paranaguá e Antonina devem movimentar 35 milhões de toneladas de carga geral, ante 32,5 milhões de t movimentadas em 2006

Patrícia Vieira
da redação

Os Portos de Paranaguá e Antonina devem movimentar 35 milhões de toneladas de carga geral, ante 32,5 milhões de toneladas movimentadas no ano passado. A receita cambial deve atingir US$ 11 bilhões, valor superior aos US$ 9,4 bilhões gerados em 2006. Os dados são da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).
Os grãos estão exercendo a principal influência para alta das exportações nos portos paranaenses. De acordo com o analista Celso Pessoa, entre todos os grãos o milho brasileiro tem peculiaridades que atraem o mercado europeu: não é transgênico e tem uma qualidade superior.
O Porto de Paranaguá é responsável pela exportação de mais da metade do milho produzido no Brasil. Até o último domingo, já saíram pelo terminal público 2,70 milhões de toneladas de milho, volume 19% superior ao registrado em 2006.
Segundo o analista Carlos Eduardo Araújo, a tonelada do grão já é comercializada a US$ 200 no Porto de Paranaguá, contra US$ 150 pagos ao milho transgênico.
As exportações de soja já atingiram 3.387.370 toneladas, aumento de 3% em relação ao ano passado, os farelos chegaram a 4.011.387 toneladas, alta de 16%. Nas importações os destaques são a cevada (109.308 toneladas) e o trigo, cujas importações cresceram 84%, chegando a 182.582 toneladas.