RATINHO JR DEMITE EM MASSA

311

Ratinho Jr pôs na rua 417 ocupantes de cargos em do governo do Paraná. Interessante, a maioria dos defenestrados são funcionários que vêm da época de Beto Richa e Cida Borghetti. A temperatura subiu na manhã de ontem no Centro Cívico. O assunto azedou o café da manhã e congestionou os celulares no centro do poder paranaense.

A lista do Ratinho traz, sem justificativa alguma, a demissão de gente técnica, trabalhadora. Seu único defeito talvez seja ter ocupado funções nas gestões de Beto Richa e de Cida Borghetti. Na esteira foram demitidos nomes ligados ao Tribunal de Justiça e a Assembleia Legislativa.

O descontentamento é geral e bombeiros de plantão tentam acalmar os ânimos. Há informações de que o decreto será revogado e os servidores reconduzidos aos cargos. Nada confirmado ainda. O que fica é a pergunta: se é vendeta contra Cida ou Richa, vale a pena punir trabalhadores?

CONGELOU SALÁRIOS

Ratinho Júnior (PSD) determinou a suspensão do reajuste salarial dos servidores públicos paranaenses, previsto para ser pago neste mês de janeiro. No despacho, Ratinho Jr alega que segundo informação da Diretoria de Orçamento Estadual, o Orçamento para 2021 não comporta a reposição.

BB ENCOLHE E DEMITE

O Banco do Brasil (BB) anunciou nesta segunda-feira (11) dois programas de desligamento incentivado. A expectativa é que a adesão chegue a 5 mil funcionários. O BB quer ajustar a força de trabalho do banco, mudando empregados de setores com excesso de pessoal para outros com vagas disponíveis.

PAZZUELO ENROLA

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, evitou cravar uma data de início para a vacinação contra a covid-19 no País. Fazendo gracinha sem graça, Pazuello, que tem sido cobrado por governadores e prefeitos para a definição de um calendário, a imunização no País irá começar “no dia D e hora H”.

ENEM SERÁ MANTIDO

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não será adiado. A edição de 2020 do Enem foi adiada em razão da pandemia e as provas da versão impressa acabaram remarcadas para 17 e 24 de janeiro e da versão digital para 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Apesar da mudança na data, há discussões sobre a pertinência de se manter o exame, tanto por conta dos riscos de contaminação pelo coronavírus quanto pelo fato de alunos terem ficado sem aulas uma parte do ano.

GENERAL MORRE DE COVID19

A peste não discrimina ninguém. Morreu de covid-19, em Curitiba, Carlos Roberto, diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep), de 59 anos. Essa diretoria é responsável pela elaboração do Enem. O general estava se tratando da covid-19 desde dezembro.

FORD FECHA AS PORTAS

A Ford Motor Co fechará suas três fábricas no Brasil este ano e assumirá encargos de cerca de US $ 4,1 bilhões. A montadora cita “ambiente econômico desfavorável” no Brasil em seu comunicado oficial. A produção cessará imediatamente nas fábricas da Ford em Camaçari e Taubaté,

VONTADE NÃO BASTA

O substitutivo apresentado pelo relator deputado Carlos Zarattini (PT-SP) para alterar a Lei de Improbidade Administrativa (LIA) é considerado uma “afronta aos brasileiros” pelo autor do projeto Roberto Lucena (Pode-SP). Um dos pontos defendido pelo petista, é a alegação de que “não basta” ao agente público demonstrar vontade de cometer o ato improbo para configurar o crime, mesmo causando danos ao Estado. Para Lucena, as mudanças vão impedir a responsabilização de quem receber propina, pois só permitirá a punição em caso de dano ao erário.

RETROCESSO SUSPEITO

A proposta do PT “desconfigura a proteção à probidade e recua de avanços históricos no combate à corrupção”, diz o político do Podemos. O relatório abre margem para impunidade total ao vedar enquadramento de negligência, imprudência e imperícia como atos de improbidade. Zarattini insinua que a LIA é dura demais no “combate ao enriquecimento ilícito de agentes públicos” por ter sido aprovada no governo Collor.

PENDULAR

O apoio do PT a Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para presidir o Senado ligou o alerta no governo e afasta a possibilidade de apoio do presidente Jair Bolsonaro. O atual ocupante do cargo, Davi Alcolumbre, pressiona o Palácio do Planalto a acionar a máquina administrativa para viabilizar a candidatura de Pacheco, mas ninguém espera ver Bolsonaro no mesmo barco do PT. Até porque são cada vez mais inquietantes os sinais de que o senador mineiro pretende ser a “versão senatorial” de Rodrigo Maia.

BARBAS DE MOLHO

Ao buscar apoio do PT, Rodrigo Pacheco reforça a reputação de “aliado inconfiável”, do tipo que joga para plateia e cede à pressão da oposição. Michel Temer tirou Rodrigo Maia do baixo clero e o elegeu presidente da Câmara. Quando tentaram cassar Temer, o “aliado” Maia se absteve. Rodrigo Pacheco era do MDB de Temer e presidia a CCJ da Câmara, e escolheu um relator que fez o que pôde para cassar o ex-presidente.

O CANDIDATO PETISTA

Candidato do PT para presidir o Senado, Rodrigo Pacheco (ex-MDB, atual DEM-MG) votou a favor do impeachment de Dilma, da PEC do Teto de Gastos e da Reforma Trabalhista. Mas o PT nem está aí para isso.

DA ESQUERDA

A esquerda sul-americana pediu ontem em carta, assinada inclusive pelo ex-presidiário Lula, a soltura do argentino Amado Boudou, ex-vice de Cristina Kirchner, que cumpre pena de 5 anos e 10 meses de prisão por corrupção e etc.

MOURÃO ESCONDE O JOGO

O vice Hamilton Mourão, comentarista diário de generalidades, disse que foi tratado contra Covid “com os remédios preconizados pelos médicos”. Não esclareceu se tomou cloroquina, ivermectina, zinco…

CUSTOS INSUPORTÁVEIS

É curiosa a decisão da Ford de paralisar a produção de veículos no Brasil e manter suas fábricas na Argentina, mercado várias vezes menor. Tem a ver com os custos de impostos e direitos trabalhistas excessivos.

REELEIÇÃO EM 1º TURNO

O ex-senador Mão Santa disse ontem, ao empossar os secretários em novo mandato na prefeitura de Parnaíba (PI), que Bolsonaro será reeleito no primeiro turno “porque o povo sabe que ele é o melhor para o Brasil”.

A ‘RUA’ REPUBLICANA

A imprensa “vende” o impeachment de Donald Trump omitindo que a maioria republicana do Senado não permitirá, como já ocorreu antes. Há correligionários que não gostam do presidente dos EUA, mas sabem que a “rua” republicana é Trump: ninguém é mais popular que ele, no partido.

PREÇO DO AUTORITARISMO

As ações do Google, Facebook e Twitter caíram após banirem perfis de Trump, considerado grave ataque à liberdade de expressão. O Twitter perdeu US$5 bilhões e o Facebook US$34 bilhões em valor de marcado.

O ADVERSÁRIO MAIS TEMIDO

A insistência dos democratas no impeachment de Donald Trump é uma jogada eleitoral: o objetivo é impedir que ele volte a se candidatar em 2024. Mas para emplacar isso só com dois terços dos votos no Senado.

FRASES

“Pazuello é o embromador de Bolsonaro.”