Quimioterapia cultural

666

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta segunda-feira que “o Brasil precisa de uma quimioterapia para que ele não pereça”. A declaração foi feita na Câmara dos Deputados, em Brasília, durante uma sessão solene que prestou homenagem aos 17 anos do Comando de Operações Especiais do Exército Brasileiro. Mesmo que Bolsonaro não seja o melhor exemplo de presidente, é preciso reconhecer que a afirmação feita por ele tem um fundo de verdade. Assim como um paciente necessita de um tratamento quimioterápico agressivo para se livrar de um câncer, o Brasil da mesma forma precisa de uma mudança agressiva para se ver livre do câncer que mata a sociedade diariamente – a corrupção.

Uma quimioterapia cultural é necessária. Cada cidadão, família, empresa ou partido político tem a responsabilidade de viver sem tirar proveito do outro; vencer com o seu próprio talento e não através do fracasso alheio; votar com sabedoria e não apenas para cumpri um dever imposto pela constituição; exercer a cidadania pensando no bem do próximo; ser honesto em todas as situações da vida. São tantas as possibilidades, enfim, de acabar com o câncer da corrupção. Essa é a verdadeira e mais importante quimioterapia que o Brasil precisa.