QUEIJOS & VINHOS. O REQUINTE DA ENOGASTRONOMIA DE INVERNO NO BRASIL.

299

*Osvaldo Nascimento Juniors.:

Sugestão deste seu Sommelier para este inverno; Fondue com queijo Krateurkeese (não importado) de Pomerode/SC, com vinho branco argentino Torrontés de Salta, uva plantada de 1500 a 3000 mts de altura, duas especiarias.

O histórico dos queijos, suas principais qualidades e a combinação com os vinhos, com suas cores, sabores e texturas diferentes é alimento e é um dos mais antigos da história, uma tradição gastronômica na França, Itália e Grécia, os maiores consumidores, mas o maior produtor mundial são os Estados Unidos, que produzem principalmente o Cheddar. No Brasil, a variedade também é grande, pois praticamente todos os tipos de queijos – mais de cem – já são produzidos também aqui na Colônia Wittmarsum, próxima de Curitiba, na rodovia Curitiba/Ponta Grossa, onde não deixa nada a desejar aos grandes queijos do planeta e com muita qualidade.

Os mais consumidos são prato, muzzarela, minas, provolone e parmesão. No entanto, por ter um processo de fabricação caro, ainda chega aos consumidores com um custo muito alto, mas acessíveis quando vendidos em pedaços como é fácil encontrar isto nos mercados, mas Independente disso, o queijo é encontrado em todas as mesas. O Brasil ocupa hoje, honrosamente o primeiro lugar na produção de queijos na América do Sul.

Estima-se que o consumo anual por pessoa seja de três quilos e meio, um índice, distante do verificado na França, aonde o consumo por pessoa chega a 22 quilos por pessoa. Das naus portuguesas às fazendas coloniais, o queijo se tornou um dos alimentos mais representativos de nossa gastronomia, como iremos ver que entre a grande diversidade de queijos brasileiros há três variedades mais representativas, que se destacam devido ao paladar marcante e a tradição que prevalece em suas produções, que são o queijo de coalho, típico do Nordeste, o famoso queijo de Minas da região Sudeste, e o queijo-manteiga, comum nas duas regiões, mais encorpado e gorduroso.

Mostramos aqui a vocês caros leitores (as),uma pequena amostra do mundo maravilhoso da enogastronomia, que são os queijos, uma das infinitas possibilidades e por isso mesmo o tema é sempre palpitante. Cada refeição acompanhada por uma taça de vinho, tinto, branco ou rosé (ver mais sob o mesmo título, mais  harmonizações em nossas matérias publicadas no site do Diário Indústria e Comercio Pr em nossa coluna digital VINVM VITA EST) www.icnews.com.br ou em nosso livro VINVM VITA EST – A HISTÓRIA VISTA PELO VINHO, enaltece o bom gosto e a alegria de viver.

A busca e a escolha do vinho adequado têm algo aventuroso. Os grandes vinhos são em geral imitados, embora nunca igualados, dêem lugar a similares notáveis nas mais diversas latitudes. É impossível apontar escolhas muito particulares, apenas algumas regras gerais. Assim é que, provando, vamos encontrar vinhos surpreendentes por todo o planeta. No caso dos queijos também ha critérios , quando seguidos, levam a uma noção superior de prazer. Como nos ensina nosso colega enófilo curitibano, Guilherme Rodrigues, “O vinho não é um acompanhante da gastronomia, um coadjuvante dos alimentos.

Ele faz parte indissociável da gastronomia, como alimento que é, e um ator de primeira grandeza na saga da boa alimentação e do prazer de viver.” E como gostamos de citar “o vinho é um universo de aromas, cores e sabores e, por isso faz parte dos melhores momentos da nossa vida aproximando as pessoas e as relações”. Lembre-se: Wine in moderation. Art de Vivre.

QUEIJOS E VINHOS. A ENOGASTRONOMIA DO INVERNO, e o grande prato festejado do inverno: A FONDUE; IGUARIA PARA COMER SEM PRESSA E AQUECER COM BOM VINHO. AVOE. BRADO DE EVOCAÇÃO Á BACO POR SEUS SÚDITOS.

*Nosso objetivo também: Ensinar com o Compromisso da Educação Etílica. O Vinho levado a sério.

*Osvaldo Nascimento Júniors: Advogado, empresário, Enófilo, Sommelier, Colunista de Vinhos do Diário Indústria e Comercio do Paraná há 11 anos com mais de 500 artigos publicados, Professor de Cursos de Vinhos da Universidade Livre do Comercio(ULC) da Associação Comercial do Paraná (ACP), autor do livro VINUM VITA EST – A HISTÓRIA VISTA PELA VINHO, numa viagem didática e cultural pela Enologia, sucesso de vendas em nossos cursos, palestras e Encontros de Vinho no Brasil e exterior.*