A produção avícola paranaense está em alta devido a queda da taxa de juros para o crédito rural, que passou de 8,75% para 6,75%

Patrícia Vieira
da redação

A produção avícola paranaense está em alta devido a queda da taxa de juros para o crédito rural, que passou de 8,75% para 6,75%, e da criação de uma linha de crédito destinada para construção de aviários.
A situação favorável tem incentivado os produtores rurais a ingressar na atividade agrícola. A área de fomento de algumas empresas revelam que a procura pelo setor já é 70% maior, fator que acaba alavancando mais investimentos.   
    De acordo com Luiz Antônio Pedro, técnico na área de projetos da Frangos Canção, desde 1998, o agronegócio brasileiro estava aguardando a diminuição da taxa de juros para crédito rural.
 A redução de dois pontos percentuais na taxa de juros significa uma economia de R$ 24 mil no financiamento de um barracão destinado à produção de frango de corte, com custo de R$ 200 mil. “É um atrativo ao produtor rural, principalmente o pequeno produtor, já que com a inflação variando a 4,5% ao ano, o juro real é de apenas 2,25%”, afirma.
Segundo Pedro, o objetivo da Confederação Nacional de Agricultura (CNA), é de que a taxa de juros para crédito rural chegue a 4,5% em médio prazo. “No entanto, para os próximos dois anos não há estimativa para uma nova redução”, revela.
Após a queda do juros somente a Frangos Canção, em Maringá, disponibilizou junto ao Banco do Brasil R$ 16 milhões através do Convênio de Integração (Convir). Com o dinheiro serão construídos cerca de 80 novos aviários, com capacidade entre 33 e 35 mil aves cada, que devem gerar aproximadamente mil empregos diretos e indiretos.