O presidente russo Vladimir Putin alertou que o seu país irá atacar instalações caso os sistemas de foguetes de longo alcance sejam fornecidos para a Ucrânia.

Putin fez os comentários em uma entrevista transmitida pela TV estatal russa no domingo. O governo norte-americano anunciou na semana passada que iria enviar quatro Sistemas de Artilharia de Foguetes de Alta Mobilidade, ou HIMARS, para a Ucrânia.

Putin enfatizou que os alcances dos sistemas de foguetes são similares aos que a Ucrânia já tem, e afirmou que não há nada de novo a este respeito.

Mas Putin disse que se os foguetes de longo alcance forem fornecidos para a Ucrânia, a Rússia irá acionar armas para atacar locais que ainda não tinha alvejado. Ele acrescentou que a Rússia tem armas em quantidades suficientes para o propósito.

O exército ucraniano afirmou que os bombardeiros russos sobrevoando o Mar Cáspio dispararam cinco mísseis cruzeiros em direção a Kiev no domingo. Acrescentou que um deles foi destruído. Mas a mídia local noticiou que os outros quatro atingiram uma instalação de conserto de vagões de trem na capital, ferindo uma pessoa.

A Guarda Nacional do ministério de assuntos internos da Ucrânia postou no domingo um vídeo em sua página de mídia social que, segundo ela, mostra veículos armados russos destruídos no leste da Ucrânia.

O exército ucraniano afirmou que cerca de 31.150 soldados russos foram mortos entre 24 de fevereiro e 5 de junho.

O ministério da Defesa britânico afirmou em sua recente avaliação no domingo que as forças russas atuando na região de Luhansk, no leste da Ucrânia, incluem pessoas “mal equipadas e treinadas”, mobilizadas das reservas das forças separatistas lideradas pela Rússia.

O ministério afirmou que as forças ucranianas têm feito contra-ataques na cidade de Severodonetsk, “provavelmente neutralizando a dinâmica operacional que as forças russas haviam conquistado previamente”.