Cervejaria Ambev promoveu "Festa da Saideira do Boteco Bohemia" em imóvel da Prefeitura de Curitiba.

O PT de Curitiba denunciou no final da tarde de ontem (29/8) ao Ministério Público (MP) do Paraná a utilização, pela cervejaria Ambev, de um prédio público da Prefeitura de Curitiba.Proprietária da marca "Bohemia", a Ambev fez uso do imóvel localizado na esquina das ruas Barão do Rio Branco e Visconde de Guarapuava, de 6 mil metros quadrados, para promover, no último fim-de-semana, a "Festa da Saideira do Boteco Bohemia".Assinada pelo presidente do diretório municipal do partido, Adenival Gomes, a denúncia aponta que o prefeito Beto Richa (PSDB) permitiu de forma indevida o uso de bem público para fins particulares, além de patrocinar uma forma de apologia ao consumo de álcool."Desde semanas antes do evento, a cervejaria já vinha utilizando as fachadas do imóvel público em questão para divulgar suas placas de propaganda", diz trecho da representação, protocolada no Centro de Apoio das Promotorias de Proteção ao Patrimônio Público.Adenival Gomes pede a abertura de investigação contra Beto Richa por violação da lei 8.429/1992, conhecida como lei de improbidade administrativa. A denúncia é acompanhada por fotografias, notícias publicadas em jornais e documentação que comprova que a área pertence à administração pública municipal."O prefeito Beto Richa tirou sua possante Harley-Davidson da garagem, no último sábado, para prestigiar a festa de encerramento do Boteco Bohemia", diz o jornal "Gazeta do Povo", em sua edição do último dia 28 de agosto. Anexada à denúncia, a nota, publicada na coluna social de Reinaldo Bessa, é ilustrada por uma foto do tucano sobre uma motocicleta.

 

Durante 14 horas da festa, uma espécie de competição entre bares, houve concursos como o da melhor "forma de servir a cerveja". Foram cobrados ingressos no valor de R$ 30. Conforme texto produzido pela assessoria de imprensa do evento, pelo menos 2,5 mil pessoas "prestigiaram" a festa. Pedido de informações No pedido de providências encaminhado ao MP, o presidente do PT de Curitiba informa que a bancada de vereadores do partido apresentou no último dia 21 de agosto um pedido de informações à prefeitura sobre o caso. O pedido, de número 133/2007, ainda não votado pela Câmara Municipal, onde pelo menos 33 dos 38 vereadores integram a base aliada ao prefeito. No requerimento, a bancada do partido requer cópia do processo administrativo ou contrato eventualmente firmado entre o município
e a empresa realizadora do evento. Questiona ainda os critérios legais observados para a concessão do alvará e se houve alguma forma de patrocínio da prefeitura. O imóvel em questão fica defronte ao Legislativo municipal. Declarado de utilidade pública para fins de desapropriação em 1999, o imóvel, que pertencia à Companhia de Automóveis Slaviero, foi trocado no final de 2003 pela Prefeitura de Curitiba por um outro, localizado na esquina da avenida Kennedy com a via rápida, no bairro Portão. A permuta foi solicitada em dezembro de 2003 pelo então prefeito em exercício Beto Richa. O objetivo era a construção de um terminal de transporte, parte do Eixo Metropolitano de Transporte, que seria financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).