A obra de Itaipu Binacional escavou oito vezes mais que o EuroDisney, usou concreto equivalente a 170 Maracanãs, e estrutura metálica que dariam para fazer 380 Torres Eiffel
A obra de Itaipu Binacional escavou oito vezes mais que o EuroDisney, usou concreto equivalente a 170 Maracanãs, e estrutura metálica que dariam para fazer 380 Torres Eiffel

Construída as margens do rio Paraná, na divisa entre Brasil e Paraguai, a Usina de Itaipu começou a funcionar em 1984 e foi concluída em 2007. Hoje ela atrai quase 860 mil turistas por ano, sendo 30% de países vizinhos e 20% de outras nacionalidades. São pessoas interessadas em conhecer esse grande complexo que alimenta a energia de 50 milhões de casas brasileiras e produz 17% da energia elétrica consumida no Brasil e 70% do Paraguai.

Acompanhados do diretor-geral do Brasil de Itaipu, Jorge Samek, o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinicius Lummertz, e o ministro do Turismo, Henrique Alves, conheceram, na manhã de ontem, projeto de visitação técnico-científica que emprega hoje 213 pessoas em Itaipu. As visitas geram cerca de R$ 12 milhões por ano, dos quais R$ 3,2 milhões são investidos no Fundo do Parque Tecnológico de Itaipu para fomentar pesquisas de energias renováveis, projeto de veículo elétrico, laboratórios de pesquisa e fábrica de software livre, além do Instituto Mercosul de Estudos Avançados.

“Esse é um bom exemplo de como um grande empreendimento se transformou em um importante atrativo turístico capaz de movimentar a economia local e ainda transformar o futuro do nosso País, ao fomentar o conhecimento técnico-científico desenvolvido por brasileiros”, disse Lummertz.

Segundo Samek, a profissionalização das visitas ao complexo, que aconteceu em 2007, mudou a forma como o turismo se relacionava com Itaipu Binacional. “Nessa gestão decidimos profissionalizar a visitação. Isso valorizou ainda mais esse serviço, além de gerar emprego e resultados econômicos positivos para Itaipu. Era um desperdício ter um espaço desse tamanho e as pessoas não puderem conhecer e compreender a grandiosidade dessa empresa que mudou a história do Brasil e do Paraguai”, explica o diretor-geral.

A obra de Itaipu Binacional escavou oito vezes mais que o EuroDisney, usou concreto equivalente a 170 Maracanãs, e estrutura metálica que dariam para fazer 380 Torres Eiffel. Hoje o visitante pode conhecer o complexo por meio de oito opções de produtos de visitação, cujos preços variam de R$ 13,50 a R$ 99,00.

Dentre os passeios estão a visita panorâmica, o ecomuseu, o refúgio biológico, o polo astronômico e o Porto Kattamaram. Toda sexta-feira acontece a iluminação da barragem e, nos sábados, é feito o test drive do veículo elétrico. As visitações turísticas acontecem diariamente a partir das 8h até as 16h30. Para mais informações o turista pode acessar o site: www.turismoitaipu.com.br.