O primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, expressou seu desejo de trabalhar com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, em prol de um mundo sem armas nucleares.

Na quarta-feira, Kishida falou diante de uma Câmara Baixa repleta de parlamentares, dois dias antes de suas conversações com Biden. O premiê havia planejado viajar aos Estados Unidos para um encontro pessoal com o presidente. No entanto, as conversações ocorrerão online devido ao alastramento da variante ômicron do coronavírus.

Kishida Fumio afirmou que vai trabalhar para erigir uma relação de confiança com os Estados Unidos, o único aliado do Japão, visando concretizar um mundo sem armas nucleares. Ele acrescentou que, durante as conversações, quer confirmar com Joe Biden que ambos trabalharão juntos para concretizar tal mundo. Kishida é natural de Hiroshima, cidade atingida pela bomba atômica.

O primeiro-ministro também mencionou os sequestros de japoneses pela Coreia do Norte, que ocorreram sobretudo nas décadas de 1970 e 80.

Kishida Fumio declarou que pretende confirmar a estreita cooperação com Joe Biden para resolver a questão. Ele ressaltou a importância da cooperação com outros países para que os sequestrados possam retornar o quanto antes ao Japão.