Prazo para a Declaração Anual dos MEI encerra dia 30 de junho

509
Se não for entregue a declaração, os  MEI ficarão inadimplentes e não poderão obter certidão negativa de débito junto à Receita Federal

Microempreendedores Individuais (MEI) tem até o dia 30 de junho para entregar a Declaração Anual Simplificada (DASN-SIMEI) referente ao ano de 2019. Neste ano, o prazo de entrega foi prorrogado em um mês, em virtude da pandemia do coronavírus. Os MEI que ainda não entregaram precisam correr para não ficarem inadimplentes. O documento é uma obrigação e deve ser entregue, anualmente, à Receita Federal.

Os MEI que não entregarem a declaração ficarão inadimplentes com o Simples Nacional e não poderão obter certidão negativa de débito junto à Receita Federal, documento necessário para contratar uma linha de crédito, por exemplo. Enquanto a declaração não for realizada, o MEI fica impedido de emitir os boletos de 2020. Além disso, os microempreendedores individuais podem ficar sujeitos ao cancelamento do CNPJ e multa no valor de R$ 50. Caso o pagamento for realizado no prazo de 30 dias, será concedido um desconto de 50% no valor total da multa.

Para a declaração, o MEI deverá ter em mãos o faturamento anual de sua empresa em 2019; o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e declarar, se houve admissão de funcionário no decorrer do ano.

O Paraná conta com mais de 643 mil microempreendedores individuais, pouco mais de 6% do total no país. Em todo o Brasil são mais de 10 milhões de MEI.

Por conta da interrupção nos atendimentos presenciais desde o mês de março, o Sebrae/PR tem oferecido as orientações remotamente aos empreendedores.

“Os MEI que estão com dificuldades e precisam de orientação para preencher corretamente a Declaração Anual de Faturamento podem entrar em contato com o Sebrae, gratuitamente, por meio dos nossos canais de atendimento. O ideal é que eles regularizem a situação o quanto antes e não deixem para a última hora”, afirma o consultor do Sebrae/PR, Rodrigo Feyerabend. Para entrar em contato, os MEI podem acessar o site www.sebraepr.com.br, ou ligar para a Central de Atendimento pelo 0800 570 0800 ou pelo WhatsApp no (41) 99787-8003.

Iluminação sincronizada com TV

Gustavo Batista:  diversas possibilidades para o usuário

Chega ao mercado uma nova linha de iluminação, controlada via aplicativo e que proporciona uma emoção singular ao assistir televisão. Fabricada pela Philips e disponibilizada para todo o Brasil pela Reymaster, distribuidora de materiais elétricos com unidades em Curitiba (Pr) e Joinville (SC), a linha é denominada Hue, sendo destinada a aplicações residenciais. Ela une praticidade e entretenimento de forma simples e intuitiva através de um aplicativo para Smartphones desenvolvido de modo exclusivo.

Segundo o promotor técnico em iluminação da Reymaster, Gustavo Batista, além de uma automação básica, como acendimento e dimerização das lâmpadas com um simples toque no celular, a Hue traz diversas possibilidades para o usuário como: troca de cores (são 16 milhões de cores disponíveis para adequar conforme a ocasião); programação de ambientes ou horários como por exemplo cores mais quentes nos quartos ou cores mais intensas ao amanhecer e mais opacas ao anoitecer.

Holandeses mantêm tradição no Paraná

Reinder Mattheus Barkema com a esposa e filho

Com 80 anos, Reinder Mattheus Barkema conserva costumes da terra natal e incentiva seis filhos a seguirem seus passos. Com 55 anos de atuação no ramo, principalmente na suinocultura, Reinder é hoje o cooperado mais antigo em atividade na Alegra, indústria de alimentos derivados da carne suína, localizada nos Campos Gerais (Pr). Atualmente, com a criação de aproximadamente 3.500 suínos, Reinder dedica 100% da produção mensal para a marca – cerca de 500 por mês. Além da atividade profissional, a cultura e as tradições holandesas são traços que se mantêm geração após geração na família. Para Reinder, os valores ensinados por seus pais são a principal herança a ser deixada para seus filhos e netos. “Nós aprendemos que palavra tem que valer e que deveríamos sempre seguir praticando o bom exemplo que aprendemos com pai e mãe. Além disso, manter a nossa língua holandesa é essencial, pois ela já diz muito sobre nós, sobre como trabalhamos e pensamos. E a crença que recebi dos meus pais, protestantes, também foi algo que transmitimos para a família”, explica.

Novas ideias para vender mais  

As empresas brasileiras sentem os efeitos da retração das vendas e, em junho, 73% das empresas consultadas pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil revelam ter redução no faturamento. 57% delas tiveram mais de 20% de redução. Impacto como esse leva os empresários a buscarem saídas para contornar a crise. A redução da carga horária é uma das soluções mais usadas, pois 49% das empresas que responderam à terceira edição da consulta “Impactos da Pandemia no Cenário Nacional” já recorreram a isso.

Vendas por meios eletrônicos é outro recurso dos mais usados nos últimos 90 dias. Em junho 47% das empresas responderam que iniciaram operações de vendas online. Em abril eram 25% e em maio, 30%. O WhatsApp foi a primeira opção de vendas virtuais e hoje 36% das empresas aderiram a essa modalidade. Observado o sucesso, o e-commerce é o segundo passo para se digitalizar. A digitalização está ajudando a elevar o ritmo das vendas, principalmente para aqueles que só tinham operações em lojas físicas. A queda do faturamento das empresas amenizou de abril até junho conforme gráfico abaixo.