Policiais Civis são alvo de operação da PC e do Gaeco em Londrina

284

Ao menos cinco policiais civis de Londrina foram afastados das funções nesta quinta-feira (01) durante uma operação da Polícia Civil e do Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado. A ação de combate à corrupção policial na cidade, cumpriu ainda, nove mandados de busca e apreensão e outras sete medidas cautelares.

As investigações começaram em abril de 2019 e apuram o funcionamento de um grupo de policiais civis e advogados que teriam praticado crimes como peculato, que é o desvio, de dinheiro ou coisa algo público, para proveito próprio, corrupção passiva e concussão, recebimento de vantagens indevidas.

O Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) também participa da ação.

Os crimes teriam sido cometidos nos anos de 2017 e 2018 e têm relação com investigações da época, que tramitavam na 10ª Subdivisão Policial de Londrina.

Segundo as apurações, em um dos casos, um dos advogados encaminhou uma mensagem de áudio via aplicativo de celular para um cliente investigado, citando o nome dos policiais que receberiam “propina” para não envolvê-lo na investigação.

Em outra situação investigada, os policiais teriam exigido, através de um outro advogado, o pagamento de R$ 55 mil para não atuarem em flagrante por porte de arma e extorsão. O cliente havia sido levado à delegacia e só teria sido liberado após a transferência, na própria delegacia, do dinheiro para a conta do advogado. Na circunstância, não foi feito o flagrante, tendo apenas sido instaurado um inquérito policial. Esse cliente investigado reclamou que durante o cumprimento da busca na casa dele foram levados, pelos policiais, objetos como celulares, televisão e vídeo game.

Em nota, a Polícia Civil do Paraná informou que não é conivente com desvios de conduta e que todas as denúncias recebidas pela instituição são devidamente apuradas.