Polícia investiga pessoas que ‘assistiram passivamente’ morte de homem no Carrefour

257
Google

A Polícia Civil de Porto Alegre vai investigar a conduta de pessoas que “assistiram passivamente” o espancamento que levou a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, por seguranças do Carrefour, em Porto Alegre, nesta quinta-feira (20).

A chefe da Polícia Civil do RS, Nadine Anflor, disse à Globo News, que uma das pessoas ouvidas e investigadas é a funcionária que filma a agressão e não intervém. “Ainda não se sabe” se ela coordenava os seguranças ou funcionários do Carrefour, ou se tinha condições de impedir a agressão, disse a delegada.

“Dentro desses vídeos a gente vê a intolerância”, disse. A Polícia Civil deve pedir a prisão preventiva dos seguranças, e trabalha com a hipótese de homicídio triplamente qualificado, por motivo fútil, emprego de recurso que impossibilitou a defesa da vítima e asfixia.

“Essa punição, também e essa, investigação, não tem uma preferência em relação a nenhuma outra, mas é importante que se dê a rápida elucidação, que se dê respostas a sociedade porque é um caso extremamente emblemático“, declarou Nadine.