Foto: PCPR

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) finalizou a revitalização da fachada do prédio e estacionamento da Corregedoria Geral, em Curitiba. Foram investidos R$ 239 mil de recursos próprios da instituição na melhoria da unidade. A entrega da obra aconteceu na terça-feira (28).

A revitalização levou 10 meses para ser concluída. As janelas de ferro foram substituídas por esquadrias de alumínio, já que estavam enferrujadas e em péssima condição de uso.

A fachada do prédio possuía várias trincas e infiltrações. Com os devidos reparos na estrutura de alvenaria e pintura o prédio apresenta melhores condições de uso por servidores e população. O pátio e o estacionamento também foram pintados, com a marcação de faixas de sinalização para vagas de veículos.

A Corregedoria Geral da PCPR ocupa prédio próprio do Estado, adquirido em 13 de julho de 1949. Revitalizar a estrutura foi uma ação adotada para garantir a preservação de um patrimônio público.

“O impacto principal da revitalização e restauração de um prédio público e próprio do Estado é a manutenção do patrimônio. Nós gestores de unidades temos por obrigação gerir os recursos de forma a garantir que o patrimônio do Estado não se deteriore e perca seu valor monetário”, disse o corregedor-geral da PCPR, Marcelo Lemos de Oliveira

Além do zelo público, Lemos destaca os benefícios para os cidadãos que utilizam o prédio. “Outros impactos, não menos importantes, são a melhoria nas condições de atendimento a população e ainda nas condições de trabalho aos policiais que atuam em nossa unidade”, declarou.

CORREGEDORIA – A Corregedoria Geral da PCPR atua na investigação de crimes e transgressões funcionais eventualmente cometidas por policiais civis. Na atividade corretiva, denúncias podem resultar ou não em sindicâncias, processos administrativos e/ou inquérito policiais.

Desde 2019 a unidade tem buscado aprimorar a metodologia de trabalho com o objetivo de prevenir as imperfeições na execução do trabalho. A partir do cumprimento de agendas periódicas de correições ordinárias e extraordinárias, a Corregedoria conseguiu elevar o nível de prevenção.

Prova disso é que de 2019 para 2022 o número de investigações preliminares reduziu 75% e a instauração de procedimentos administrativos e sindicâncias reduziu 24%. No primeiro caso, investigação criminal é feita quando existe denúncia. Já a instauração de processo administrativo e sindicância é um ato no rito do órgão que pode ocorrer se uma investigação criminal confirmar a denúncia.

Desde 2019 a Corregedoria Geral participou de 11 operações policiais em apoio a outras unidades, efetuou 10 prisões em flagrante delito, cumpriu 19 mandados de busca e apreensão e prisão, instaurou 97 procedimentos de inquéritos policiais e concluiu 114 inquéritos. A unidade também realizou cerca de 2,9 mil procedimentos de investigação de conduta dos candidatos às carreiras policiais, entrevistando cerca de 4 mil pessoas em diligências que somaram 50 mil quilômetros de deslocamento.

Com AEN