PIADA EM MÁ HORA

256

O presidente Jair Bolsonaro perde ótimas oportunidades de ficar de boca fechada. Na última segunda-feira, em encontro com apoiadores, o presidente ironizou o uso de máscaras para evitar a propagação do coronavírus. Ele disse, em gravação reproduzida por um site bolsonarista, que nos dias de folga que teve no litoral paulista, usou máscara para mergulhar “para não pegar Covid nos peixinhos”. O presidente insiste em circular sem máscara em encontros públicos. O Brasil está perto de chegar a 200 mil mortes por causa da Covid-19.

SERINGAS

Os fabricantes brasileiros de seringas garantiram ao Ministério da Saúde que têm capacidade para atender à demanda pelo produto na vacinação contra a Covid. O governo federal proibiu a exportação de seringas para não desabastecer o mercado interno. Os fabricantes do produto garantem que a proibição de exportação afeta pouco o setor, pois as vendas no exterior correspondem apenas a 10% do faturamento das empresas.

PESSIMISMO

Pesquisa do Datafolha mostra que 69% dos entrevistados em todo o país não acreditam que a situação econômica do Brasil vai melhorar nos próximos meses. A pesquisa mostra que 28% acham que a situação vai ficar como está. Outros 28% acham que a situação vai melhorar e 41% acham que a situação vai piorar. A pesquisa foi feita entre os dias 8 e 10 de dezembro de 2020. Os números da atual consulta são praticamente iguais à da pesquisa feita em agosto do ano passado.

AGRONEGÓCIO

Cada vez mais o Brasil se apoia no agronegócio para fugir de crises econômicas. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia, o agronegócio respondia por 37% das exportações brasileiras em 2000. Agora em 2020, ele responde por 49% de nossas exportações. O ano passado foi um dos melhores para o setor. A produção de grãos evoluiu de 83 milhões de toneladas em 2000 para 257 milhões de toneladas em 2020.

CARNE

A carne passou a ter importância fundamental nas exportações brasileiras. Nos últimos dez anos, a exportação do produto teve um crescimento de 99%. A carne brasileira foi responsável pelo faturamento de US$ 143 bilhões na última década. Os dados do Ministério da Economia mostram a forte dependência que temos da China. O país oriental fica com 84% de toda a soja exportada pelo Brasil.

BOLSA

A bolsa brasileira, B3, viveu um ano de fortes emoções em 2020. Em janeiro do ano passado, alcançou sua máxima de pontos: 119.527, antes da chegada da pandemia da Covid. Em abril veio o fundo do poço, com a doença em franco crescimento, a B3 alcançou 63.569 pontos, ou seja, queda de 46,81%. Mas no fechamento do ano, os números ficaram bem próximos do recorde histórico de janeiro: 119.017 pontos.

AS DEZ MAIS

O Jornal O Globo publica as dez empresas que mais se valorizaram em 2020. Confira a relação a seguir: 1 – Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) – 125,97%; 2 – WEG Motores e Equipamentos – 120,28%; 3 – Petro Rio (petróleo) – 112,31%; 4 – Magazine Luíza – 109,84%; 5 – Bradespar – 73,54%; 6 – Vale (mineração) – 70,93%; 7 – Usiminas (siderurgia) – 55,06%; 8 – B3 (mercado de capitais) – 50,26%; 9 – Suzano (celulose) – 47,53% e 10 – Localiza (locação de veículos) – 46,53%.

PRESSÃO

O secretário de estado da Geórgia, o republicano Brad Raffensperger, não cedeu à pressão do presidente Donald Trump para declarar que houve fraude nas eleições no estado americano, praticamente acabando com as tentativas de reverter o resultado das urnas por parte do mandatário dos EUA. Agora pense se fosse no Brasil. Qual político de qualquer partido por aqui não ficaria tentado a ajudar o presidente da República de seu partido à busca pela reeleição? Nestas horas é que se vê como os americanos dão importância às suas instituições. A democracia vale mais para eles do que ligações partidárias.

VENDAS VEÍCULOS

Apesar da recuperação nos últimos meses de 2020, onde houve fila de espera para entrega de alguns modelos, a indústria automobilística brasileira fechou o ano com queda nas vendas, informa a Fenabrave (Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores). Foram vendidos 2,78 milhões de veículos, entre carros de passeio e utilitários em 2020, com queda de 26,16% em relação a 2019.

AGLOMERAÇÕES

Quem viu as aglomerações em praias por todo o país na virada do Ano Novo e vê repetidamente o noticiário informar que as polícias fecharam festas clandestinas, cheias de gente sem a menor preocupação com a pandemia que nos assola, pode imaginar a falta de responsabilidade de boa parte da população. Não se importam com a saúde dos outros, nem com a própria. É a mesma coisa para as pessoas que andam em locais públicos com a máscara no queixo ou nas mãos. Não adianta reclamar das autoridades, cada um tem que fazer a sua parte para preservar a saúde da população.