Pesquisadores utilizam supercomputador Fugaku para estudar gotículas virais

281

Pesquisadores que utilizam o mais recente supercomputador do Japão afirmaram ter descoberto que certos tipos de máscaras são capazes de bloquear gotículas virais, mas que a ventilação completa do ambiente ainda é necessária para prevenir o alastramento do coronavírus.

Chefiada pelo professor Tsubokura Makoto, da Universidade de Kobe, uma equipe do instituto de pesquisa Riken estudou a eficácia de máscaras contra gotículas virais emitidas por pessoas ao espirrar, tossir ou por outros meios. Para essa finalidade, os pesquisadores utilizaram o supercomputador de última geração Fugaku.

Eles disseram que máscaras produzidas com tecido falso são capazes de bloquear cerca de dois terços de gotículas, mesmo que haja um espaço entre a máscara e a pele do usuário. No entanto, as máscaras não conseguem conter gotículas menores que 20 micrômetros.

A equipe também divulgou um vídeo que simula a ventilação em uma sala de aula. Os pesquisadores ligaram um aparelho de ar-condicionado colocado ao longo das janelas de um lado da sala, e descobriram que a ventilação é melhor quando as janelas ou portas dispostas em cantos diagonais do ambiente estavam abertas.

Eles planejam realizar simulações com gotículas virais em sistemas de transporte público, incluindo ônibus e aviões, além de locais de compras.

Com CCIBJ-PR e NHK