Peritos voltaram, na manhã desta terça-feira (18), à Associação Desportiva Classista da Siemens, onde aconteceu o acidente que matou duas crianças e feriu nove durante uma festa

Peritos do Instituto de Criminalística do Paraná voltaram, na manhã desta terça-feira (18), à Associação Desportiva Classista da Siemens, na Cidade Industrial de Curitiba, onde aconteceu o acidente que matou duas crianças e feriu nove durante uma festa, no domingo (16). Naquela tarde, um castelo inflável saiu do chão e derrubou crianças que brincavam nele, também o touro mecânico foi arremessado contra uma parede, ferindo pessoas.
Segundo o delegado titular do 3.º Distrito Policial, que investiga o caso, Carlos Alberto Castanheiro, os peritos voltaram até o local para avaliar a distância e a altura que os brinquedos teriam percorrido durante o acidente.
“É importante sabermos essas informações, para confirmarmos com especialistas como um brinquedo (touro mecânico) que, supostamente pesa 300 quilos, seria jogado da maneira que foi”, disse o delegado Castanheiro.
O delegado informou que ouviu novamente, na manhã de ontem, um dos sócios da empresa Casquinha, responsável pelos brinquedos infláveis. “A empresa está funcionando legalmente e tem cerca de oito anos de trabalho”, disse. Castanheiro contou recebeu o contrato social da empresa e o alvará de funcionamento.
O delegado também recebeu documentos que mostram que os brinquedos estavam dentro da validade especificada pelo fabricante. “De acordo com os documentos, os brinquedos estão seminovos e dentro do prazo permitido para usá-los”, afirmou.
A polícia tenta localizar uma assistente social que teria levado algumas crianças para participar da festa, para ouvi-la como testemunha. O delegado ainda confirmou que deve visitar algumas vítimas e convidá-las a ir até a delegacia para deporem sobre o acidente.