Foto: DER

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) deve iniciar em breve a fiscalização com balanças veiculares nas principais rodovias estaduais paranaenses. A medida visa aumentar a segurança para condutores e diminuir os danos ao pavimento causados por veículos com excesso de carga. Serão pesados caminhões, tratores, chassi-plataforma, reboque e semirreboque, ônibus e micro-ônibus, ficando de fora os veículos de passeio.

Serão cinco contratos, todos com duração de 30 meses, um para cada superintendência do DER/PR: Leste (R$ 18.176.505,81), Campos Gerais (R$ 16.105.001,73), Norte (R$ 15.096.154,57), Noroeste (R$ 16.428.701,12) e Oeste (R$ 16.224.712,34). Os consórcios e empresa vencedores foram definidos em licitação, com resultado já homologado e objetos adjudicados.

Após assinatura dos contratos e emissão das ordens de serviços, os primeiros meses serão dedicados à mobilização das empresas, com intervenções físicas nos pontos de fiscalização e treinamento e capacitação das equipes. As operações de pesagem terão início a partir do terceiro mês de contrato.

“O transporte de carga com peso excessivo resulta em trânsito mais lento que o previsto, desgastes para os veículos, e patologias no asfalto, todos fatores que aumentam a incidência de acidentes em nossas rodovias”, afirma o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Fernando Furiatti.

“Com as novas balanças rodoviárias vamos garantir que os poucos condutores que prejudicam tantos passem a seguir o código de trânsito brasileiro. Nossa intenção não é punir, mas educar e prevenir um comportamento nocivo para si mesmos e para os demais condutores, e também para o pavimento, cuja manutenção é paga pelos impostos dos contribuintes”, completa.

Serão, ao todo, 26 conjuntos de Unidades Móveis Operacionais (UMO), que incluem, além do sistema de pesagem e controle, veículos, equipamentos de apoio, sistema de sinalização e segurança, suprimento de energia e um sistema de monitoramento e comunicação. Estão previstos 35 pontos de fiscalização com balanças estáticas e 16 pontos de fiscalização com pesagem dinâmica, divididos entre as cinco superintendências regionais do DER/PR.

“O trabalho das equipes de campo será acompanhado pelos Centros de Controle de Operações nas regionais, e pelo Centro de Controle de Informações na sede do DER em Curitiba, com monitoramento por câmeras e softwares”, explica o diretor-geral do DER/PR, Alexandre Castro Fernandes.

Com AEN