Quem educa: a família ou a escola?

Fonte: https://static.todamateria.com.br/upload/te/mp/temposmodernos-cke.jpg

Desde a Revolução Industrial nos anos de 1800, tanto a educação, como o trabalho, a produção e a vida social tiveram grandes mudanças e reorientações. São os chamados “tempos modernos”. De um mundo mais rural e mais artesanal construiu-se outro, totalmente diferente, segmentado e industrializado. A educação, que antes possuía uma função integradora preparava para a vida familiar, a sociedade, o conhecimento, o desenvolvimento intelectual e político dos seres humanos, agora voltou-se para o desenvolvimento dos modos de produção em massa, para a preparação para o trabalho, apertar parafusos e soldar componentes eletrônicos.

Após essa mudança revolucionária podemos confessar que ficamos perdidos sobre o que, como e para que serve a escola e todas as atividades educativas.  A escola existe para formar o ser humano de forma completa? Formar cidadãos? Deve focar na preparação para o trabalho, a indústria, o comércio, o desenvolvimento econômico…?  Afinal, porque existe a escola hoje?

Para além dessa discussão, ouço que família e escola têm funções bem diversas, antes estavam integradas. A família educa, a escola, ensina e, logicamente, essa divisão de “trabalho” também é pós-revolução industrial. Será que é saudável separar as duas coisas? O que é educar? O que é ensinar? Será que a família atrapalha a escola e, a escola, atrapalha a família? Se, e somente se, essas questões tiverem respostas afirmativas quanto à distinção de tarefas parece que não estamos conseguindo fazer isso com bons resultados e teríamos que mudar conceitos, concepções, estratégias e metodologias para resolver todos os pontos que são problemáticos, disfuncionais e defeituosos.

No entanto, se estivermos equivocados e, escola e família, precisarem trabalhar juntas, então, da mesma forma que a anterior, precisaremos rever conceitos, concepções, estratégias e metodologias e unir famílias e escolas, além da sociedade, trabalho, políticas e desenvolvimento para que esse organismo inteiro funcione. Pensar de forma integrada no ser humano, educando e ensinando para a vida e ajudando a desenvolver suas potencialidades não é tarefa apenas da escola, ou da família, mas da sociedade inteira e todos seus sistemas. Caso contrário, dessa fragmentação saem desaprendizagens, desatenção, hiperatividade, depressão, rixas e violências, inimizades e cobranças descabidas, que nada mais são que desmotivação, desinteresse e falta de utilidade quanto àquilo que se “ensina ou aprende”. Melhor trabalhar junto, pensar juntos, planejar junto, afinal, são meus filhos, vossos filhos, nossos filhos, e valem o esforço conjunto.

Profª Ma. Maristela Barcelos Castro
maristela.castro@inovaretec.com
Whats 41 991.991.330

Prof. Dr. Adelar Hengemühle
adelar.h@inovaretec.com
Whats 41 99222-1330