O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou hoje (21) que o julgamento do mensalão, esquema denunciado de compra de votos no Congresso e que será analisado nesta semana

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou hoje (21) que o julgamento do mensalão, esquema denunciado de compra de votos no Congresso e que será analisado nesta semana pelo Supremo Tribunal Federal (STF), não é um “teste de fogo” para o governo, mas é um momento importante para se pensar na “solidez” das instituições do país. “É um julgamento normal, importante e nós não temos, enquanto ministro da Justiça, nenhuma torcida, nenhuma inflexão a respeito do assunto, que o judiciário vai examinar com toda cautela”, disse.

O ministro destacou que por parte do governo nada mudará na agenda política. Indagado sobre a possibilidade do julgamento do mensalão envolver novamente o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro disse que já foi declarado pelo procurador-geral da República [Antônio Fernando Souza] que não há nenhuma “alusão”ao governo ou ao presidente na denúncia. “Nós temos que estar exultantes que as instituições do país estão funcionando de maneira regular e estável. Isso é bom para a oposição e para o governo.”

Sobre a declaração do procurador sobre as provas envolvendo os acusados em participar do esquema de compra de votos, o ministro disse que não fará nenhum “juízo” sobre o julgamento. “Minhas funções me recomendam observação, cautela e respeito ao judiciário”, observou. Em 2005, Tarso Genro deixou o Ministério da Educação e assumiu a presidência do Partidos dos Trabalhadores no auge da atuação das investigações parlamentares sobre o esquema do mensalão.