O BICHO VAI PEGAR

236

Recebi mensagem do chefe da Casa Civil, Guto Silva, que alerta para os riscos da pandemia nos próximos dias. É grave a situação. O governo deve ser duro e baixar medidas restritivas. Só não atentam para isso os grupos ruidosos de empresários que querem o relaxamento para preservar seus negócios. Eles reúnem uma minoria que não está nem aí para as consequências sociais. Mais um mês de isolamento é um sacrifício tolerável diante do risco. Segue a mensagem de Guto Silva.

Pessoal, gostaria de compartilhar com vcs a minha preocupação com os proximos 15 dias. Estamos fazendo todo trabalho de ampliação do sistema de saúde, testes etc mas recebi hoje novo alerta dos técnicos que as próximas semana serão duríssimas.

Sei que com o tempo expandido da pandemia, muitas vezes relaxamos um pouco, mas chamo atenção pra os próximos dias que serão estratégicos para o combate.

Por favor orientar amigos e familiares pra buscarem o isolamento pois a situação é muito grave. Estamos avaliando medidas mais duras para os próximos dias mas será a consciência da população que garantirá sairmos desta pandemia o mais rapido possível.

Abração

Guto Silva

Chefe da Casa Civil – Governo do Paraná

Sanfoneiro grotesco

O cantor sanfoneiro de Bolsonaro é Gilson Machado, presidente da Embratur, que proporcionou espetáculo grotesco ao tocar e cantar “Ave Maria” ao lado do presidente e de Paulo Guedes. Gilson Machado Neto é um ativista homofóbico que no dia anterior declarou não ter “nada contra quem usa seu orifício rugoso infra lombar para fazer sexo”. Medíocre não só na sanfona.

Soa a deboche

Grotesco. Ridículo. Patético. O sanfoneiro é a metáfora perfeita para o governo Bolsonaro. A ideia já era péssima, mas a execução supera todas as expectativas. É prova que Bolsonaro, além de ministros, não sabe escolher sanfoneiro. Clique e ouça. Quem acompanhava a live semanal de Jair Bolsonaro (sem partido), se surpreendeu com uma façanha diferente do presidente da República. Após o Brasil registrar a marca de 53.830 mortes por covid-19, o político achou que seria uma boa ideia prestar uma homenagem às vítimas do novo coronavírus com um show de sanfona e ‘Ave Maria’.

Frente anti-Bolsonaro

Um ato virtual contra o presidente Jair Bolsonaro convocado pelo movimento Direitos Já deve reunir ao menos 100 políticos, sendo 13 presidentes de partidos, da esquerda à direita, ex-presidenciáveis e coordenadores de outros grupos de defesa da democracia. No entanto, os principais nomes do PT ficarão de fora, embora tenham sido convidados.

PT fica fora

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e a presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), decidiram não participar do ato, que terá a presença de Fernando Haddad, candidato do da sigla derrotado em 2018, e outros nomes que concorreram à Presidência: Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL).

Bolsonaro sabia?

O presidente Jair Bolsonaro sabia onde estava escondido Fabrício Queiroz, segundo a opinião de 64% dos brasileiros sobre a prisão do ex-assessor do clã presidencial, detido em Atibaia. É o que mostra pesquisa do Datafolha —a margem de erro da pesquisa é de dois pontos para mais ou menos. Três quartos dos entrevistados pelo Datafolha afirmaram ter tido ciência do caso, 29% deles bem detalhadamente, 35% mais ou menos e 11%, mal.

Bolsonaro comemora

O presidente Jair Bolsonaro descobriu a autocontenção só depois que a Justiça decretou a prisão de Fabrício Queiroz. A propósito: a concessão, pelo TJ-RJ, de foro especial a Flávio Bolsonaro afronta decisão do Supremo. Tem de ser revertida por meio de recurso especial ao STJ ou de reclamação ao próprio STF. Fui contra o fim do foro especial —e apanhei muito dos bolsonaristas por isso—, mas o meu entendimento foi derrotado. Viva o colegiado!

               Abriu, morreu

Segundo o Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), o ritmo das mortes por Covid-19 no estado de São Paulo cresceu em um ritmo cinco vezes maior nas duas primeiras semanas do PlanoSP, de reabertura econômica em meio à epidemia De acordo com o levantamento, entre 13 e 23 de junho, a média móvel do total diário de mortes subiu 28% (de 217 para 277). Entre 2 e 12 do mesmo mês, essa média também registrou aumento, mas em uma taxa de 5,3%.

Quer abrir

O presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF) Hélio Cury afirmou que o Paraná já possui condições para a volta do campeonato estadual de futebol, paralisado desde março, mesmo com os casos ainda em ascendência em várias cidades. O mandatário da FPF argumenta que o esporte “está pagando uma conta que não é sua”, ao ser classificado ao lado de academias.

 

Bolsonaro se mantém

Segundo pesquisa do Datafolha, Bolsonaro manteve sua aprovação em 32%, o mesmo índice do fim de maio (33%). A rejeição ao governo é de 44%, ante 43% da rodada anterior, enquanto os que avaliam Bolsonaro como regular estacionaram nos 23% (eram 22%). Bolsonaro não inspira muita confiança. São 46% os que dizem nunca confiar, 20% que sempre confiam e 32%, aqueles que o fazem às vezes.

Sul resistente

Novamente, o Sul desponta como uma fortaleza do titular do Planalto, com a menor taxa de desconfiança (35%) entre as regiões. O Nordeste, que se mantém como o local de maior rejeição a Bolsonaro (52% de ruim ou péssimo), é a região que mais desconfia: 53% dos ouvidos nunca dão crédito a ele. As informações são da Folha.

Olho no futebol

O Brasil pode sofrer um isolamento no mapa do futebol sul-americano. O país, epicentro do coronavírus na região, é visto como grande obstáculo para a realização de competições que movimentam mais de R$ 1,5 bilhão – Libertadores, Sul-Americana, Recopa e eliminatórias da Copa do Mundo. A cúpula da Conmebol, órgão máximo do continente, já discute a hipótese de retomada dos torneios, a partir de agosto ou setembro, sem jogos em solo brasileiro. Seria a condição para a participação dos clubes nacionais e da própria seleção. Apenas jogadores e membros da comissão técnica testados para o Covid-19 teriam autorização para viajar para países vizinhos.

Contra

Ainda o futebol: essa seria uma sequela da pandemia do governo Bolsonaro e a CBF trabalha para evitar essa quarentena no futebol brasileiro. Por outro lado, dirigentes de outros países têm manifestado o receio de que suas equipes circulem por aeroportos, hotéis e estádios brasileiros. No jogo da pandemia, a América do Sul dá uma goleada no Brasil. Na média, nos países da região registram 2,7 mil infectados e 85 mortes por cada milhão de habitantes. No Brasil, esses índices alcançam 4,3 mil contaminados e 214 óbitos.

Outros tempos

Pouca gente lembra: nos anos 80, Paulo Guedes ganhou o apelido de Beato Salu. Era conhecido por fazer previsões apocalípticas. Lembrava o personagem da novela Roque Santeiro que vivia anunciando o fim do mundo.

“Palaciano”

Desde que assumiu o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça tem sido uma figura assídua e central do Executivo, em meio às tensões que circundam o presidente e seus aliados. Ele é presença constante na agenda do Chefe do Governo e por causa disso já foi elevado, nos bastidores, ao status informal de “palaciano”, referência aos que trabalham no Planalto e são mais próximos do presidente. Ele se encontrou com Bolsonaro em 29 dos últimos 35 dias (Moro seu antecessor esteve no Planalto 11 vezes em seus últimos 35 dias no cargo). O ministro-chefe da AGU, José Levi, esteve com o presidente 15 vezes no mesmo período.

Quem paga?

A ministra Tereza Cristina tem defendido dentro do governo a liberação de recursos dos bancos públicos para financiar startups ligadas ao agronegócio. Prega ainda mais crédito para garantir a expansão da banda larga no campo. Ninguém discute o mérito do pleito. Detalhe: só não tem é dinheiro.

Queda forte

A produtividade na economia brasileira caiu com força no primeiro trimestre deste ano, recuando 1,7% em relação ao mesmo período de 2019, a maior queda desde a baixa de 2,6% no quarto trimestre de 2015. O tombo reflete o impacto da pandemia, que agravou o quadro de retração da produtividade total dos fatores, iniciado em março de 2018, segundo a FGV.

Festa de CPFs

A regularização de 11 milhões de CPFs feita à toque de caixa pela Receita Federal no mês passado teve como resultado uma explosão no número de cadastros regulares, que agora superam em 12,5 milhões de registros, a população estimada do país. A Receita fez o ajuste em massa para permitir que milhões de pessoas pudessem ter acesso imediato ao auxílio emergencial de R$ 600 oferecido pelo governo.

Urubu

As negociações entre Rodolfo Landim, presidente do Flamengo e o Banco Regional de Brasília, novo patrocinador do rubro-negro, passaram diretamente pelo gabinete de Bolsonaro e dali para o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, foi um pulo.

Frases

“A situação é grave. Estamos avaliando medidas mais duras para os próximos dias contra a Pandemia.”

Guto Silva, chefe da Casa Civil.