Nuvini adquire plataforma de automação da curitibana leadlovers

373

Pierre Schurmann: “vamos levar a leadlovers para um novo patamar mais rapidamente”

A Nuvini , grupo de empresas de Software as a Service (SaaS) criado pelo empresário e investidor Pierre Schurmann, acaba de anunciar a compra da leadlovers, plataforma brasileira referência em Automação de Marketing Digital, com sede em Curitiba. A aquisição é a primeira divulgada pela Nuvini, que planeja anunciar a compra de mais 14 empresas até abril. Com a integração das 15 companhias, a previsão é alcançar R$ 296 milhões em faturamento até o final de 2021.

Fundada por Diego Carmona e Fábio Verschoor, COO da empresa, a startup foi lançada em 2015 com a proposta de apoiar empreendedores a atrair e criar relacionamento com novos clientes, além de gerar vendas pela internet. A plataforma permite automatizar em um só lugar todos os processos do Marketing Digital para que os clientes tenham mais tempo para focar em outras estratégias. A empresa conta com mais de 13 mil clientes, de cerca de 50 países. Atualmente, mais de meio bilhão de e-mails são enviados mensalmente e 30 milhões de contatos (leads) obtidos ou gerenciados por meio da plataforma.

“Com a liderança do Diego Carmona e do seu time, trabalhando de forma integrada com a Nuvini, vamos levar a leadlovers para um novo patamar mais rapidamente. Nosso propósito não é interferir nas empresas adquiridas, mas sim apoiá-las com Smart Money e a experiência de um time de profissionais e mentores de primeira linha”, explica o CEO da Nuvini, Pierre Schurmann.

SB Crédito, de Curitiba, investe na LiveOn Solutions

Roberto Wajnsztok, sócio da LiveOn Solutions; Lyeverson Nogueira Alves, Diretor Operações da SB Crédito; Duani Reis, VP da SB Crédito; Lucas Montanini, Fundador & CEO da LiveOn Solutions e  Luan Rodrigues, Co-Fundador & CTO da LiveOn Solutions

A SB Crédito – empresa com sede em Curitiba – anunciou nesta semana que passou a ser sócia da LiveOn Solutions. A parceria visa intensificar o mercado de crédito do país, com estimativa de movimentação de R$ 5 bilhões nos próximos dois anos. Para os gestores das companhias, ao unir a plataforma de crédito da SB Crédito com a base tecnológica de serviços bancários da LiveOn, empresas e consumidores terão acesso a uma infraestrutura completa, com segurança e praticidade, para gerir e oferecer crédito para empresas e consumidores finais.

“O mercado de crédito apresentou em 2020 um forte crescimento, também impulsionado pela pandemia, e a tendência é que com inovações como o PIX e a chegada do Open Banking isso se intensifique ainda mais. Como resultado, teremos um cenário perfeito para a prestação de serviços digitais de capital financeiro no país”, explica Lucas Montanini, CEO da LiveOn, uma das empresas de tecnologia que mais crescem no Brasil e que está criando tecnologia inovadora para o mercado de fintechs do Brasil.

Com 21 anos de atuação e sólida carteira de operações de crédito para empresas, a SB Crédito vem crescendo de forma consistente nos últimos anos e prevê nova expansão após investir na LiveOn. “Essa parceria deve acelerar nosso posicionamento de liderança e crescimento acima da média registrada pelo mercado, escalando as operações de crédito com a solidez e a robustez desejada pelos clientes e pelos investidores. A união das empresas permitirá a complementariedade das expertises com a sinergia da carteira de clientes e dos serviços oferecidos com total segurança, confiabilidade e foco no crescimento das duas operações”, diz Duani Reis, vice-presidente da SB Crédito.

Paraná exporta erva-mate com Indicação Geográfica

Lote especial de erva-mate com IG foi comercializado no Uruguai, em 2020

Em 2020, consumidores uruguaios puderam experimentar a erva-mate com Indicação Geográfica do Sul do Paraná. Um lote especial com 65 mil pacotes foi produzido e comercializado pela ervateira Baldo, de São Mateus do Sul. A venda para o Uruguai foi a primeira do produto com IG para o exterior e representa a evolução da cadeia produtiva desde que o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) concedeu o certificado de registro de IG, na modalidade Indicação de Procedência, em setembro de 2017.

Leandro Gheno, diretor vice-presidente da ervateira, conta que a empresa é uma tradicional exportadora de erva-mate, especializada no padrão uruguaio, que tem processamento diferente do produto nacional – a erva-mate permanece armazenada por 12 meses em condições controladas de temperatura e umidade, ganhando uma coloração amarelo-ouro.

“Oferecemos o produto com IG no Uruguai e acabamos fazendo uma tiragem de 65 mil pacotes de 250 gramas da erva-mate com IG. Adotamos uma estratégia diferente, com embalagem especial e proposta de venda em locais específicos para atender a este tipo de público”, relata Gheno.

Empresa Stone abre vagas em Curitiba

Não há data limite para realizar a inscrição no portal

A Stone, empresa de tecnologia em serviços financeiros, tem novas oportunidades de emprego abertas em Curitiba. As vagas são para o time comercial externo da fintech que busca pessoas alinhadas à sua cultura e que queiram transformar o setor de meios de pagamentos no Brasil. Para se candidatar, é só acessar o site  https://jornada.stone.com.br/  e se inscrever.

Não há data limite para realizar a inscrição no portal. As vagas contam com salário fixo + variável relacionada ao cumprimento de metas. Além disso, a empresa oferece vale alimentação e refeição, vale transporte, seguro saúde e odontológico, seguro de vida, auxílio creche e auxílio academia.

“Curitiba é um polo estratégico para a companhia. Por isso estamos investindo em oportunidades de emprego na região que nos permita continuar crescendo e atendendo bem aos nossos clientes”, explica Augusto Lins, presidente da Stone.

Proposta pode prejudicar  acionistas  da Vale

Milhares de investidores que compraram ações da Vale estão preocupados. Motivo: foi apresentada proposta de mudança do estatuto que muda as regras para eleição dos conselheiros da companhia.

De olho no assunto, a Amec (Associação de Investidores Minoritários no Mercado de Capitais) decidiu estudar em profundidade a sugestão, com a preocupação de que a proposta possa criar precedentes negativos para os acionistas, com a possibilidade de mais empresas mudarem o estatuto para prever a contabilidade do voto contrário.

Pela regra atual, nas empresas de capital aberto, os votos contra são, de maneira geral, considerados nulos. A sugestão é que o voto negativo seja considerado como voto de qualidade, o que despertou a atenção da Amec e de outras entidades do mercado de capitais, principalmente por preocupações quanto à governança.

CoreconPR quer Menor Preço do pedágio

O Conselho Regional de Economia do Paraná (CoreconPR), com o objetivo de contribuir com o seu conhecimento técnico em prol do desenvolvimento socioeconômico do Estado, tem participado ativamente das discussões sobre o novo modelo de concessão de pedágio a ser implantado nas rodovias paranaenses, com validade para 30 anos. O posicionamento da entidade é contrário ao projeto de concessão no chamado modelo Híbrido, com menor tarifa de pedágio, seguido de maior valor de outorga. No documento emitido pelo CoreconPR ao governador Carlos Massa Ratinho Junior, é defendida a adoção do modelo de Menor Preço.

O Governo de Estado abriu recentemente  uma série de debates públicos, para ouvir sugestões da sociedade. Várias entidades já se posicionaram, assim como o CoreconPR na defesa para a adoção do modelo Menor Preço, sem cobrança de taxa de outorga, respeitando as melhores técnicas de projetos, para uma tarifa mais barata pelo custo benefício que irá oferecer para a sociedade. Ainda, alerta que a base produtiva do Estado é essencialmente do agronegócio, setor que emprega cerca de 40%, e qualquer sobrecusto impacta na renda do trabalhador e pode comprometer a competitividade dos diversos negócios.