Uma nova pesquisa, realizada pela empresa britânica MIST, mostrou que um em cada três fumantes britânicos viu seu animal de estimação adoecer como resultado do fumo passivo.

Como sabemos, a fumaça do tabaco contém substâncias cancerígenas, um grupo de substâncias químicas que podem causar câncer. Os animais que inalam o fumo passivo também correm o risco de contrair células cancerígenas nos pulmões, boca e nariz.

Com uma estimativa de 4 milhões de animais de estimação vivendo em lares de fumantes em todo o Reino Unido, os dados mostram que existem potencialmente mais de 1 milhão (1.356.864) animais vivendo com doenças relacionadas ao fumo passivo no momento.

Mais especificamente, os cálculos estimam que existem 642.960 cães e 676.800 gatos em risco de sofrer problemas de saúde nas mãos de seus donos fumantes.

Os animais de estimação são particularmente suscetíveis a contrair doenças, pois adoram se aconchegar com seus donos e normalmente passam mais tempo em casa descansando nos móveis – que também podem estar cobertos de partículas cancerígenas.

Os animais de estimação passam o tempo se limpando, resultando na digestão das partículas nocivas. Acredita-se que os gatos correm mais riscos do que outros animais de estimação devido à sua limpeza.

De acordo com relatórios adicionais, os cães que foram expostos ao fumo passivo são suscetíveis a mais infecções oculares, alergias e problemas respiratórios.

Cães que vivem em ambientes cheios de fumaça também têm uma incidência aumentada de câncer nasal. Acredita-se que os cães de nariz comprido correm o maior risco, com a probabilidade de contrair a doença subindo para 250%.

Os dados do MIST mostraram que um quarto dos fumantes desconhece completamente como seu hábito pode estar prejudicando seus animais de estimação.

Como resultado, três em cada cinco fumantes relataram que deixariam de fumar se achassem que estava prejudicando seu animal de estimação. No entanto, uma em cada cinco pessoas disse que se recusaria a desistir.

Fundador e CEO do MIST, Fred Cassman falou sobre os dados, dizendo: “É surpreendente e perturbador ver o número de animais em todo o país que são afetados negativamente pelo fumo passivo de seus donos, e ainda mais quando você considera isso pode levar a certos tipos de câncer.”

“A julgar pelos dados da pesquisa, há uma clara falta de conscientização sobre esse assunto. Queremos compartilhar as descobertas para que possamos incentivar os britânicos a abandonar os cigarros em 2022 e aprender mais sobre os danos que a fumaça do tabaco causa não apenas a nós mesmos, mas aos nossos leais e amados animais de estimação.”

Fonte: CHARLOTTE DALY