O empresário Jorge Roberto Rutois, argentino de Mar del Plata radicado há 15 anos em Curitiba, sócio da operadora Kleintur, especializada em roteiros de viagem pela América Latina, conheceu dias atrás a mais nova casa de tango de Buenos Aires – o Café de los Angelitos –, que começou a funcionar em junho, e já a incluiu no vasto cardápio de atrações da capital portenha que costuma sugerir aos seus clientes.

Na verdade, a nova tangueria tem uma história de mais de 100 anos, na famosa esquina das ruas Rivadavia e Rincón, no bairro Balvanera, região Leste da capital Argentina, distante 10 quadras do Obelisco plantado no cruzamento das avenidas 9 de Julio  e Corrientes. Inaugurado em 1890 como Bar Rivadavia, transformou-se em ponto de encontro de figuras destacadas de Buenos Aires, como artistas, jornalistas, músicos, políticos, que se misturavam a malandras e cafishios (cafetãos), chamados ironicamente de angelitos (anjinhos).

Foi por isso que, quando o Bar Rivadavia foi vendido, em 1920, o novo proprietário mudou o nome do lugar para Café de los Angelitos, distribuindo pequenos anjos de gesso pela casa. Foi numa das mesas do bar que, numa noite de 1917, o diretor artístico da gravadora Odeon, Maurício Goddart, contratou dois de seus artistas mais famosos, Carlos Gardel e José Razzano, que atuavam em parceria. Razzano, aliás, muitos anos depois, fez a música para a letra de Catulo Castillo com o nome do Café. Ali, Gardel costumava comemorar as vitórias, no Jóquei, do seu cavalo Lunático e, ao lado, no Club Policial, exercitava-se para as maratonas artísticas e amorosas.

Em 1992, o Café foi fechado; em 2000, o prédio foi demolido. Foi-se o penúltimo exemplar do alentado rol de bares que povoou as vizinhanças da Plaza de Mayo. Restou, então, apenas o Café Tortoni, que continua sua trajetória de sucesso no número 825 da Avenida de Mayo. Mas o Café de los Angelitos ressurge em grande estilo e, como escreveu a jornalista Susana Reinoso, em sua matéria no La Nación, “contribuye así a preservar la mística de Buenos Aires, una ciudad tan eterna como el agua y el aire, en palabras de Borges”.

Orquestra de senhoritas

“Recriar o clima dos velhos tempos”. Esta foi a idéia de um grupo de empreendedores espanhóis radicados em Buenos Aires ao comprar o terreno e ali erguer o novo Café de los Angelitos, agora em três níveis, bar 24 horas (com espaço para apresentação de solistas) e amplo salão, no qual desponta o palco de 12 metros de boca, onde se apresentam 22 artistas exclusivos – um sexteto instrumental, dois cantores, cinco pares de dançarinos e uma “orquestra de senhoritas”, o que era comum nas antigas casas do gênero.

O show de tango dura uma hora e meia e o jantar é servido a partir das 20h30, com cardápio que inclui carnes, salmão, frango e massas, não podendo faltar, naturalmente, o famoso bife de chorizo. Os preços variam entre 250 e 450 pesos argentinos (80 a 150 dólares), de acordo com o local escolhido. A casa funciona todos os dias.

O sub-solo foi reservado para abrigar eventos e um museu do tango, mas o Café já é uma grande galeria de arte, com suas 350 fotografias históricas, selecionadas em arquivos e museus. Para os interessados, o endereço é Rivadavia, 2.100, telefone 54 11 4952-2320 e  email reservas@cafedelosangelitos.com.

BocaTango, um duplo espetáculo


Uma outra opção de casa de espetáculos em Buenos Aires é o BocaTango, no bairro La Boca, ao lado do famoso estádio La Bombonera, do Boca Juniors. Ali, os shows podem ser apreciados tanto no almoço como no jantar e duram cerca de três horas. Na verdade, são dois em um.

Primeiro, uma revista de variedades ambientada numa rua que lembra o Caminito, outro ícone do lugar, com seus cortiços de madeira e folhas de metal muito coloridos. Retrata a vida cotidiana dos imigrantes que ali aportaram muitas décadas atrás. Tem o bêbado, o sapateiro, o cafetão, a prostituta e vários outros personagens, que divertem a platéia.

Depois, o cenário é de luxo, um cabaré estilo francês, onde desfilam músicos, dançarinos e cantores, com o melhor do tango argentino. Ao contrário das demais tanguerias portenhas, o BocaTango oferece, nas refeições, comida típica campeira – carne na brasa, cordeiro patagônico, massas artesanais e peixes do lago Sul.

Como uma espécie de ante-sala do grande salão de tangos, está o Café Belle Époque. E há venda de artigos típicos regionais. O endereço é rua Brandsen, 923 e as tarifas são fornecidas pelo telefone (54 11) 4302-0808.

Um novo endereço
Está prevista para dia 1º de novembro, em Buenos Aires, a abertura da Tango Porteño, casa de espetáculos do mesmo grupo do Esquina Carlos Gardel, que ocupará o espaço que pertenceu ao Cine Teatro Metro, no número 570 da calle Cerrito, uma das vias laterais da avenida 9 de Julio, bem perto do Obelisco. O local deveria se chamar TangoCity, nome que teria sido registrado por outra empresa. Terá capacidade para 1.200 lugares, incluindo camarotes vips.