Empresa anuncia plano de neutralização de Gases do Efeito Estufa e disponibiliza produtos carbono neutro no mercado.

Atenta à ameaça do aquecimento global e suas conseqüências, a Natura anuncia sua iniciativa para se tornar Carbono Neutro a partir de 2007.

A ação terá foco principal na redução das emissões e envolverá toda a cadeia de produção da empresa, ou seja, desde as emissões provenientes das atividades para extração de matérias-primas até as geradas pela disposição final dos produtos no meio ambiente. Dessa forma, passa a oferecer aos consumidores produtos carbono neutro, reafirmando seu compromisso histórico com o desenvolvimento sustentável.

A Natura acredita que as ações de redução trazem mais benefícios ao planeta do que as compensatórias. Por isso, em nossa estratégia de neutralização dos gases do efeito estufa (GEEs), somente aquilo que não for possível reduzir será compensado por meio de projetos de reflorestamento e de desenvolvimento de fontes de energia renovável. A iniciativa será monitorada por avaliadores externos e terá divulgação periódica de resultados.

Ao realizar o inventário de suas emissões, ainda em 2006, a companhia identificou um potencial para baixar em 33% os gases gerados em sua cadeia de negócios ao longo dos próximos cinco anos.

“O compromisso perene com a sustentabilidade é o que nos permite assumir a responsabilidade de neutralizar todas as nossas emissões de gases do efeito estufa a partir de 2007”, afirma Alessandro Carlucci, diretor-presidente da Natura.

Inventário das emissões

Para avaliar o real impacto das suas atividades, a Natura inicialmente utilizou os padrões do Greenhouse Gas Protocol Initiative (GHG Protocol), que é a ferramenta mais utilizada internacionalmente para contabilizar as emissões dos GGEs. Esse protocolo estabelece alguns critérios de mapeamento, envolvendo as emissões diretas e indiretas de gases.

No seu inventário, a Natura foi além desse critério, adotando a abordagem do ciclo de vida do produto, considerando as emissões de todas as etapas da sua cadeia produtiva. Esse levantamento apontou 270 mil toneladas de C02 equivalentes emitidas pela empresa ao longo de 2006.

Compromisso antigo

A Natura tem uma longa história de compromisso com a conservação do meio ambiente. A empresa nasceu com esse nome, há 38 anos, justamente porque acreditava que os ingredientes da natureza continham as melhores soluções para os consumidores. Ao longo de sua trajetória, protagonizou iniciativas importantes.

Em 1983, ano em que as Nações Unidas criaram sua Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento, a empresa foi pioneira no uso de refil de cosméticos no país. Em 1997, quando o mundo viu nascer o Protocolo de Kyoto, a empresa converteu sua frota de distribuição na Grande São Paulo para gás natural veicular (GNV).

Foi dentro desse espírito que, em 2000, a Natura lançou a linha Ekos, assumindo um compromisso explícito com o uso sustentável da biodiversidade brasileira e com a repartição social dos benefícios gerados pela inovação baseada em conhecimento tradicional.

Em 2001, incorporou um novo critério no desenvolvimento de produtos, a Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) para as embalagens. A metodologia leva em conta todo o processo de fabricação – desde a extração de recursos naturais até a devolução na forma de resíduos, emissões e efluentes –, o que permite a redução do impacto ambiental dos produtos da empresa.

Quatro anos depois, em 2005, a empresa avançou em seu compromisso com a sustentabilidade ao substituir os insumos tradicionais de origem mineral (como derivados de petróleo) e animal por matérias-primas vegetais na formulação dos produtos.

Recentemente, a empresa adotou a tabela ambiental em seus rótulos de produtos, levando ao consumidor dados técnicos sobre a composição e embalagem. A iniciativa, que oferece informações que vão desde a escolha e obtenção da matéria-prima até a origem e o descarte da embalagem no meio ambiente, visa despertar o consumo consciente.

Sobre a Natura

A Natura registrou em 2006 uma receita bruta da ordem de R$ 3,9 bilhões, o que representa um crescimento de 19,9% em relação ao ano anterior. No momento, conta com um quadro de mais de 5.000 colaboradores e 567 mil consultoras no Brasil. Nas operações internacionais, a receita bruta aumentou 44,3% e o número de consultoras ultrapassou 60 mil. A Empresa opera, no sistema de venda direta, na Argentina, Peru, Chile, México, Venezuela, Colômbia e França, onde mantém ainda sua única loja mundial e um centro satélite de pesquisa e tecnologia. Na Bolívia, a marca está presente por intermédio de um distribuidor.