O ministro Alexandre de Moraes prorrogou por mais cinco dias a prisão do homem que ameaçou invadir o Supremo Tribunal Federal e agredir e pendurar os ministros de cabeça para baixo.

O homem foi preso na sexta-feira, 22, por associação criminosa e abolição violenta do Estado Democrático de Direito. A prorrogação da prisão atende a um pedido da Polícia Federal. Em sua sentença, Moraes afirmou que a medida vai auxiliar a investigação do material apreendido.

Nesta segunda-feira, 25, a Procuradoria-Geral da República (PGR) havia se manifestado favorável ao pedido.

“Diante do quadro fático exposto, entendo, portanto, a pertinência da medida, imprescindível para que a autoridade policial avance na análise do material apreendido e na elucidação das infrações penais atribuídas à associação criminosa em toda a sua extensão; bem como analise se há nas informações contidas nos bens e documentos recolhidos elementos que possam ensejar a realização de novas atividades investigativas, além de mitigar as oportunidades de reações indevidas e impedir a articulação com eventuais outros integrantes da associação, que obstruam ou prejudiquem a investigação, conforme também salientado pela Procuradoria-Geral da República”, diz trecho da decisão.

Antes da prisão, o homem, que foi candidato a vereador, publicou nas redes sociais um vídeo convocando a população brasileira a invadir o Supremo.

“Eu convoco a população brasileira a ir para dentro do STF, sim”, disse ele.