Ao celebrar o título de Cidade Criativa do Design, outorgado à Fortaleza pela Unesco em 2019, o DFB Festival, evento de moda e musical que começa nesta quarta dia 25, vai além de palcos e passarelas. “Ocupe seu espaço”, convoca Cláudio Silveira, há 22 anos no comando do evento. A lembrar: o DFB foi um dos indicadores para a concessão do título, já ostentado por Brasília e Curitiba.

Imagens da campanha, com fotografia de Nicolas Gondim e vídeo pela Looplay, estão em VTs, painéis pela cidade e online. As modelos da Wide Models exibem looks de estilistas cearenses de várias gerações da moda autoral, como Lindebergue Fernandes, Ivanildo Nunes e Vitor Cunha.

A campanha, realizada pela Agência Tanq, tem por cenário os recém-inaugurados Museu da Imagem e do Som do Ceará e o complexo Estação das Artes Belchior, além da Rua dos Tabajaras e a Ponte dos Ingleses, na Praia de Iracema, onde a semana de moda cearense começou em 1999.

Com expectativa de receber cerca de 32 mil pessoas durante quatro dias, o DFB oferece programação 100% gratuita e é voltado para profissionais de toda a cadeia produtiva da moda, design, administração e marketing. Nesta edição desfilam Olé Rendeiras por Catarina Mina, QAIR Brasil, Kallil Nepomuceno, Hand Lace, Vitor Cunha, Almerinda Maria, Rendá, Ivanildo Nunes, Senac Richelieu por Ivanildo Nunes, Marina Bitu, Baba, Lindebergue, Bruno Olly, Banana Urbana, Sherida, Alix, Theresa Montenegro, Manuel Bessa, David Lee, Vi Lingerie, Sau Swim, Sand Blue e Rio de Jas, mais Enel Upcycling e Projeto 100% CE por Cláudio Silveira.

Cumpre observar que o festival é uma raridade no calendário de moda do país porque tem apoio oficial, sendo apresentado pelo governo do Ceará, através da Secretaria de Cultura, com apoio Enel Brasil e realização Artesanias do Ceará.

Retalhos de tricô compõem peças da IDA

De olho em processos capazes de tornar a moda mais livre e responsável, IDA apresenta sua primeira coleção cápsula de upcycling, batizada de Trilhas, em que pedaços de tricô se tornam novas peças para o Inverno 2022. Os retalhos que seriam descartados são da empresa têxtil Patchwork, sua fornecedora desde 2019.

A peça pode ter sido um vestido, uma calça ou outro tipo de roupa, mas teve seus fios de tricô resgatados e transformados. E cada uma foi construída com fragmentos diferentes, podendo ter distinções entre um e outro. É que a criação partiu da harmonização de cores e análise dos tamanhos dos retalhos. Assim, os modelos foram feitos a partir do que as dimensões do material permitiam.

“Sabemos que não é fácil para nossas fábricas parceiras produzir qualquer coisa que saia do modelo tradicional de confecção, mas a Patchwork entrou nessa de cabeça conosco e se dedicou para fazer acontecer”, diz Gabriela Machado, diretora de estilo da IDA, lembrando que equipes das duas empresas realizaram estudos até acertar os encaixes adequados.

A coleção, com casacos, blusas e tops em uma cartela que mistura tons de rosa, amarelo, azul, terrosos, neutros off white e cinza, está nas lojas físicas em São Paulo e no e-commerce da marca.

Pandora faz parceria com Unicef

A joalheria Pandora lançar seu mais novo charm, Pendente Duplo Lâmpada Que Brilha No Escuro, com um bom propósito: a cada peça vendida, serão doados 15 euros para a Unicef investir em projetos que apoiam o desenvolvimento de crianças e adolescentes em todo o mundo. Através dessa parceria, a Unicef já recebeu 6,2 milhões de dólares, atendendo 17 milhões de meninas e meninos. O charm está disponível por 759 reais em todas as lojas físicas e e-commerce da marca.