Merkel diz que já atua para evitar terceira onda de covid-19

272
reprodução

Chanceler se mantém firme na decisão de prolongar lockdown na Alemanha e demonstra especial preocupação com variante mais contagiosa do coronavírus. Ela afirma que prefere agir agora do que esperar ser tarde demais.

Apesar de uma queda no número de mortes e infecções por coronavírus na Alemanha, a chanceler federal Angela Merkel afirmou na quinta-feira (21/01) que ainda é cedo para falar em fim do lockdown.

Em pronunciamento à imprensa em Berlim, a líder alemã demonstrou preocupação com uma nova cepa do coronavírus, mais contagiosa, que circula na Alemanha e outros países europeus e, pela primeira vez, admitiu o risco de uma terceira onda de covid-19.

Há dois dias, Merkel decidiu, junto aos governadores dos 16 estados alemães, apertar e estender o já severo lockdown no país. Ele irá agora pelo menos até 14 de fevereiro e, além de restrições de movimentação, tem medidas como o uso obrigatório de máscaras cirúrgicas, em detrimento das de pano, no transporte público e em lojas.

A Alemanha reportou 20.398 novos casos de covid-19 em 24 horas, cerca de 5 mil a menos que há uma semana. O número de infecções por 100 mil habitantes no intervalo de sete dias está em 119, a taxa mais baixa desde novembro, porém ainda bem acima da marca de 50 estabelecida como segura pelo governo. Houve, além disso, 1.013 mortes no último dia, o que eleva o total de óbitos para quase 50 mil no país.