Mamães, fiquem em casa

264

Sem aquele abraço apertado e o beijo estalado, muitos filhos vão ter que usar recursos virtuais para festejar o Dia das Mães. Se a opção for dar presentes, as lojas valem-se de WhatsApp ou de site nesse tempo de pandemia. Entre as sugestões estão os produtos bem apropriados para esse tempo de recolhimento, como a linha Pérgola, de Tania Bulhões. Com estampas floridas e cores alegres, a coleção conta com xícaras de chá, pratos de sobremesa, muranos em formato de folha e guardanapos petit pois, além de velas e sabonetes com suave perfumaria. (Loja em Curitiba  99670-1166 e site www.taniabulhoes.com.br).

Na mesma vertente, a Cosy Home tem inúmeras opções para deixar o lar interessante.  E estão com  preços promocionais as almofadas de diversas cores, tamanhos e marcas. Entre elas, estão as da grife Entreposto. A Cosy Home, que  disponibiliza a entrega do presente no endereço das mães, está localizada na Rua Bruno Filgueira, 1352, e recebe clientes de forma agendada pelos fones 3030-6959 ou  99532-5998 (WhatsApp).

O Palladium adota o formato de drive-thru, além da venda online, para atender clientes e evitar aglomeração. Até domingo, 10, é possível fazer compra nas lojas participantes e agendar a retirada do produto sem sair do carro no estacionamento do shopping.

O horário do drive-thru é das 12 às 20h. Para retirar o produto, os clientes precisam agendar com as lojas (via WhatsApp divulgado nas redes sociais do shopping) e combinar a forma de pagamento. As compras também podem ser entregues via delivery.

Design da PUC cria trajes hospitalares

Mais de mil aventais e toucas, peças auxiliares de segurança contra contaminações da covid 19, foram feitas pelos professores  de design da PUCPR e doadas para a paramentação das equipes que estão na linha de frente nos hospitais do Grupo Marista, Universitário Cajuru e Marcelino Champagnat, em Curitiba. Para as próximas semanas, o projeto pretende alcançar oito mil novos itens.

Os professores fizeram o design, molde e produção depois da aprovação de profissionais da saúde, que testaram a funcionalidade dos novos modelos. “Nos aventais, nós fizemos um fechamento duplo e com transpasse, para vedar as costas e proteger todo o corpo. Fizemos melhorias também nos punhos, facilitando a retirada segura”, exemplifica a professora Taisa Vieira Sena, responsável pelo laboratório de moda da universidade.  E as toucas passaram a ser de TNT porque sua impermeabilidade  impede a passagem de secreções ou líquidos.

Estudantes desenham acessório pró-conforto

Dois alunos do ensino médio do Colégio Positivo Internacional, Jhony Minetto Araújo e João Pedro de Ribas Nunes, de 16 anos, passaram a imprimir, em casa, extensores para orelhas, que ajudam a aliviar a dor e o desconforto causado pelas longas horas de uso de máscaras por profissionais de saúde. Já foram entregues cerca de 3.500 peças para a Secretaria de Saúde de Curitiba.

Está em produção um novo modelo, “mais útil e confortável”. Além de colegas e familiares do colégio, eles contam com apoio do Liceu de Ofícios Inovação Cidadania Cajuru (Fab Lab). “Com 1kg de matéria-prima, conseguimos produzir mais de mil extensores”, conta Jhony. Mas para suprir a demanda de grandes hospitais, até de outras cidades, doações são necessárias.