Magnata da mídia de Hong Kong promete que não ficará calado

275

O magnata da mídia de Hong Kong, Jimmy Lai, disse que não será silenciado por uma nova lei de segurança nacional, amplamente criticada pelo Ocidente por violação das liberdades do território.

O jornal Apple Daily, que pertence a Lai, critica a China com frequência. No dia 10 de agosto Lai foi preso sob suspeita de violação da lei, que foi promulgada por Pequim. Posteriormente ele foi liberado sob fiança.

Um outro jornal local, conhecido por ficar ao lado da China, relatou que Lai foi detido por dar dinheiro para um grupo em uma rede social que conclamava nações no exterior a aplicar sanções contra Hong Kong.

Lai negou as acusações. Ele disse, “Como eu posso estar em conluio quando eu estou apenas conversando, para contar a eles o que está acontecendo em Hong Kong?”.

Lai criticou a legislação por reduzir a liberdade de expressão e o direito de reunião. Ele disse que a China possibilita “muito espaço para que a política de conveniências exercite suas necessidades”.

Lai disse que a lei ameaça atividades de investimento no território. Ele disse que o clima empresarial está se deteriorando, e que investidores estão partindo. Lai afirma, “Eu preciso que o mundo preste atenção em Hong Kong, e é por isto que pessoas como nós devem continuar se manifestando”.
Com NHK