O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem , durante discurso na cerimônia de lançamento da 2ª Edição do Prêmio ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio), no Palácio do Planalto, só ter dois anos e meio de experiência de governo.


"Se tiver uma boa parceria, aquilo que eu chamo de uma boa cumplicidade, em relação às Metas do Milênio, nós poderemos, no caso do Brasil, atingi-las antes do período (2015). E digo isso por dois anos e meio de experiência. Eu digo dois anos e meio de experiência, porque quando a gente ganha as eleições, você toma posse no dia 1º de janeiro, passa um ano inteiro debatendo para corrigir o orçamento que você herdou, que foi feito no governo anterior. No nosso caso, nós tivemos que fazer um corte de R$ 14 bilhões no orçamento e ainda tivemos R$ 10 bilhões de restos a pagar, somam-se R$ 24 bilhões. Tivemos que construir um orçamento e pensar em reequipar o governo", disse Lula.

O presidente ainda falou sobre as mulheres. "Na Conferência Nacional das Mulheres, nós fizemos um pacto e vamos colocar, até 2010, R$ 1 bilhão para que a gente possa resolver uma série de problemas que nós temos na questão de gênero. E vamos fazer não apenas por conta das Metas do Milênio, mas porque é uma necessidade histórica da humanidade, criar seres humanos iguais e não torná-los diferentes por causa do sapato ou por causa da roupa."

Segundo Lula, as mulheres não podem ser chamadas de sexo fraco. "A gente não pode hoje nem admitir que a mulher possa ser chamada de sexo fraco, isso é uma coisa teórica, porque, na prática, nós sabemos quem é o sexo fraco na relação entre o casal. Obviamente que, por essa nossa fragilidade, nós vamos ter que fazer a compensação na relação de trabalho, para a mulher conquistar mais direitos e mais igualdade."

O presidente ainda fez um convite à ONU (Organização das Nações Unidas). "Eu quero convidar a ONU para que, ao final de 2010, a gente possa fazer um relatório do que aconteceu com as Metas do Milênio no final do nosso governo. Não vou dizer que nós vamos resolvê-las todas até 2010, mas podem ficar certos de que a ONU terá muitas surpresas com o sucesso que nós vamos alcançar até 2010 porque, se até agora fizemos o que foi feito, daqui para a frente nós temos condições de fazer muito mais."