Preocupada com o descarte da indústria de confecção de 200 mil toneladas/ano de resíduos, sendo 70% sintéticos, capazes de resistir por 400 anos na natureza, nasce a Libertécce, estabelecida na cidade gaúcha de Getúlio Vargas, a partir da demanda do varejo por produtos funcionais e ecologicamente corretos.  Sua tecnologia foi saudada como exemplar no 26º Inspiramais, salão de design de insumos e matérias-primas recém-realizado em Porto Alegre.

A solução da Libértecce consiste reciclar o lixo, triturá-lo até virar pellets, processados em parcerias com institutos de tecnologia e inovação. E o conhecido trio poliamida, elastano e poliéster deixa de ser vilão, para virar um granulado que serve a várias destinações, desde madeira plástica a filamentos, tanto para fazer prosaicos cabides quanto tramas sofisticadas, unidas ao algodão, para botas, bolsas e roupas.

De constituição familiar com quinze funcionários, a Libertécce nasceu há cinco anos da Cris Confecções JC Andrades, que está há três décadas no mercado. “Começamos a pesquisar o que fazer com os descartes, pois de cem quilos de malha, vinte viram lixo”, lembra João Carlos de Andrades, diretor da empresa, adiantando que, além de clientes potenciais, o projeto se expande na montagem de uma fábrica em Getúlio Vargas para processar energia oriunda da gaseificação dos resíduos obtidos da varrição das salas de costura.

A designer Treudi Andrades conta que o fio e o tecido plano estão disponíveis para as indústrias. “Nossas expectativas de negócios são excelentes”, adianta João Carlos, buscando otimizar os preços. Para Flávia Vanelli, curadora do Espaço Sustentabilidade do salão, a Libértecce está entre as empresas que “apresentam inovações comprometidas com a evolução de processos e produtos, mas que também garantam competitividade”. E o coordenador do Núcleo de Pesquisa e Design do Inspiramais, Walter Rodrigues, é categórico: “Sem o cuidado com o planeta e com as pessoas nem existe razão para uma indústria existir”.

Cresce exportação de insumos para calçados e couro em 20% 

A Assintecal-Associação Brasileira das Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos contabiliza que, neste semestre, as exportações de componentes para couro e calçados somaram 214,3 milhões de dólares, 20% mais do que no mesmo período do ano passado. E assinala recuperação: em 2019, antes da pandemia, as exportações do primeiro semestre somaram 175 milhões de dólares (18% menos do que no ano corrente).

O vice-presidente de Mercado Externo da Assintecal, Milton Killing, observa que a exportação reflete na crescente internacionalização do salão de design e insumos Inspiramais.  “A crise provocada pela Covid-19 e suas implicações, especialmente com o aumento dos custos com fretes e a falta de contêineres, fez com que países buscassem parceiros comerciais mais próximos. O Brasil, como o maior produtor do cluster fora da Ásia, se colocou como importante player, principalmente para países da América Latina”.

Assim, a Argentina passou a liderar as importações, 56% mais do que no mesmo período do ano passado e superando a China, o segundo destino do semestre. Portugal surge em terceiro no ranking. E os três maiores estados exportadores são, pela ordem, Rio Grande do Sul, São Paulo e Bahia. Os principais insumos exportados são cabedais e os químicos para curtimento de couros e para calçados/adesivos. 

Levi’s carrega novas histórias

Em 20 de maio de 1873 a Levi’s Strauss & Co entrou na história da moda com a patente do pioneiro modelo de calça jeans, batizado tempo depois de 501® Original. O clássico rebelde, nascido utilitário, se caracteriza pelo denim azul, corte reto, botões de metal e os cinco bolsos. Além dessa data, de momento a Levi’s comemora aniversário de 50 anos de sua presença no mercado brasileiro com a campanha Carregando Novas Histórias, assinadas agências Lema, Messs e Superunion.

São protagonistas da campanha Didi Wagner, Catarina Gavassi e seu pai, o radialista Zé Luiz, Jonathan Azevedo, Aisha Mbikila e Lucas Almeida. Eles, também vão dividir suas vivências e memórias afetivas com e sobre a marca nas mídias sociais. Para celebrar os 150 anos da 501, a campanha internacional é composta pela atriz Barbie Ferreira, do seriado Euphoria, o artista e modelo A$AP Nest, a Dj coreana baseada em Berlim Peggy Gou, o atleta e ativista Marcus Rashford e a modelo Hailey Bieber.

A festa se completa com um presente: a marca selecionou 501 fãs do icônico jeans para ganhar um Blue Ticket, que dá direito a troca por uma calça nas lojas Levi’s. Para alguns desse grupo, serão enviadas 501® customizadas pelas artistas Cris Conde, Suzana Fernandez, Fabiana Queiroga, Ana Penso, Negrita Modas, Da Tribu e Maria Virou Átomo, do Coletivo Tremma. O conceito criativo e a concepção gráfica do Blue Ticket foram realizados pela Superunion e a estruturação do mailing e da iniciativa são da Lema, com fotos de divulgação de Igor Reis. Todos de pa-ra-béns!