Safra soja. Foto: Jaelson Lucas / AEN – reprodução

Uma pesquisa inédita realizada pela Syngenta, em parceria com a consultoria Agroconsult e a Sociedade Brasileira de Nematologia, apontou números preocupantes sobre prejuízos e perdas decorrentes de nematoides e doenças iniciais. De acordo com o levantamento, já existe uma estimativa de R$ 65 bilhões em perdas por conta desse problema, somente na cultura de soja. Isto significa que, a cada 10 safras, uma inteira é perdida para os nematoides.

Nematoides fitoparasitas, os principais causadores, são vermes microscópicos capazes de parasitar as plantas, com prejuízo direto ao desenvolvimento e produtividade de todas as culturas, além de dano indireto que favorece a entrada de fungos nas plantas. Impossíveis de serem identificados a olho nu, os nematoides não podem ser erradicados uma vez identificados no solo, o que torna o controle e o manejo imprescindíveis para evitá-los e, assim, manter o bom desenvolvimento, produtividade e rentabilidade da lavoura: que começam sempre por um solo saudável.

A pesquisa realizada sobre a distribuição e crescimento dos nematoides no Brasil percorreu todo o País durante o ano passado e traz detalhes importantes sobre a problemática em todas as regiões, nos mais diversos cultivos e para todas as espécies encontradas. Se o cenário permanecer como está, a expectativa é de que produtores brasileiros tenham um prejuízo somado de até R$ 870 bilhões em menos de 10 anos.

Situação grave no Sul, Centro-Oeste e Norte

Hoje, as regiões mais impactadas pela presença dos nematoides no solo são Sul, Centro-Oeste e Norte, em especial no Cerrado. Em alguns estados, os vermes estão presentes em mais de 99% das amostras. A espécie Pratylenchus ssp., por exemplo, é a mais identificada, chegando a mais de 75% das áreas analisadas. No mapa abaixo, é possível ter uma dimensão da situação atual.

Soja em alerta

Um dos dados mais expressivos apontados pela pesquisa, é o prejuízo causado pela presença dos nematoides. No cultivo da soja, por exemplo, dados apontam perda de 1 a cada 10 safras. Isso significa uma perda atual de aproximadamente R$ 65 bilhões em rentabilidade. A pesquisa prevê prejuízo de R$ 374 bilhões em menos de 10 anos somente nesta cultura.

O resultado detalhado da pesquisa inédita realizada pela Syngenta Proteção de Cultivos em conjunto com a Agroconsult e a Sociedade Brasileira de Nematologia será apresentado oficialmente no 37º Congresso Brasileiro de Nematologia, que acontece de 1° a 4 de agosto, em Ribeirão Preto. Daniela Ribeiro, Gerente de Projetos e Produtos Syngenta, estará presente na plenária do dia 4 de agosto e conduzirá a apresentação relacionada, também passando por possíveis soluções previstas para o problema.

Fonte: Syngenta