Juta Castanhal na defesa da vida 

549

A máscara, aliada na prevenção da Covid-19 com forte tendência a se tornar acessório permanente, ganha estojo de juta desenvolvido pela artesã Del Carmem Vilar, há cinco anos parceira da Castanhal, maior produtora de fios e telas de juta das Américas. Como as máscaras precisam ser trocadas a cada três horas, é preciso carregar quantidade suficiente pelo período de uso, acondicionando-as de forma a se manterem esterilizadas. E também é preciso guardar as máscaras usadas, caso não sejam descartáveis, para que possam ser posteriormente higienizadas.

Del Carmen criou  dois modelos de nécessaire de juta que podem ser usados para armazenamento das máscaras limpas e para aquelas que já foram utilizadas – uma de 31x20cm, feita com o recorte da sacaria Cafés do Brasil’ 30 quilos, e outra com a tela de juta F9, medindo 21x13cm.

Já as máscaras que estão no mercado tem dos mais variados modelos, chegando até às cravejadas de pedras preciosas. Não precisa ser tão vistosas nem estilosas, o poder delas, afinal,está na capacidade de conter a contaminação do assombroso coronavírus. Mas se é preciso ter estilo, os estojos devem estar à altura, né?

“Estamos vivendo um momento que exige muito o autocuidado e seguir as orientações com estilo transforma o dia a dia para melhor”, pondera Del Carmen Vilar, observando: “Uso a juta em meus trabalhos porque valorizo a fibra sustentável. A estampa de café nas necessaires combina com a matéria-prima e confere um ar mais fashion ao produto”.

A lembrar: sediada no Pará,  na cidade de Castanhal, a fabricante destaca que a cultura da  juta é totalmente integrada ao bioma amazônico. É plantada na calha dos rios, sem provocar danos à floresta, e todo o processo de adubação é feito naturalmente pelo húmus deixado pelas cheias dos rios, sem necessidade de adubos químicos. O plantio é feito por milhares de famílias ribeirinhas com apoio da  Castanhal.

Surge sola virucida para calçados nacionais

A indústria gaúcha FCC apresenta ao mercado uma linha de elastômeros termoplásticos apontada como a primeira solução antiviral para a produção de solas de calçados no Brasil. O produto é usado para injeção, não alterando a aparência final nem as propriedades do solado.

O termoplástico FCC ANTIViral surge como resposta à necessidade de se retirar o calçado ao entrar em casa, devido ao receio de que o solado possa estar contaminado com o novo coronavírus. A empresa propõem uma sola com propriedade virucida permanente, cuja eficácia foi testada em laboratório externo, com base na norma ISO 21702 (Measurement of antiviral activity on plastics and other non-porous surfaces).

Segundo Júlio Schmitt, diretor de inovação da FCC, a novidade tem atributos que fazem com que o dna/rna viral reduza sua capacidade infecciosa, e consegue inativar vírus envelopados, como os vírus influenza, herpesvírus, coronavírus, entre outros. “Ele previne de maneira permanente, mesmo depois de inúmeras lavagens, a contaminação cruzada entre o termoplástico e o usuário, evitando assim que o solado seja um veículo de transmissão do vírus”, explica.

DigiFest 2020 versus pandemia

O DFB DigiFest, edição online do cearense DFB Festival (Dragão Fashion Brasil), está doando, com a Enel, 200 mil máscaras de longa proteção a domicílios em áreas de vulnerabilidade social da Região Metropolitana de Fortaleza; até fim deste mês, os oito restaurantes do projeto Marmita Chic oferecerem pratos com preços promocionais e, agora, promove a realização gratuita de testes rápidos de detecção de anticorpos da SARS-Cov-2.

Nesta sexta, sábado e no próximo final de semana, o Pitstop Contra a Covid-19 realizará mil exames grátis, em uma espécie de drive- thru no calçadão da Praia de Iracema. A preitura, através do Instituto Iracema, irá cadastrar moradores das comunidades no entorno da iniciativa, que terão prioridade no teste, que será realizado pela Coaph Saúde. Para garantir seu teste, o interessado deve agendar um horário, acessando o site do DFB DigiFest, www.dfhouse.com.br.

Idealizador do DFB, Cláudio Silveira lembra que o evento de moda  e cultural, “tão importante quanto levar a experiência, é o nosso compromisso com o auxílio a quem mais tem precisado de suporte nestes tempos de isolamento social”.