A acusação contra o ex-deputado Roberto Jefferson foi considerada "surpreendente" por seu advogado, Luiz Francisco Barbosa.

“Ele era a mais valiosa testemunha de acusação desse caso”, afirmou o defensor hoje (23), no segundo dia do julgamento da denúncia contra 40 pessoas por envolvimento no mensalão, apresentada pelo procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza.

O advogado refere-se ao fato de o esquema de compra de votos de parlamentares ter sido revelado por Jefferson. Segundo ele, toda a investigação foi baseada nas informações do ex-deputado. Por isso, sua participação como testemunha, não como acusado, auxiliaria a apuração do caso. “Ele teria mais coisas a informar à nação”.

Em relação às denúncias contra seu cliente, Barbosa disse que Jefferson não pode ser acusado do crime de corrupção passiva porque não era funcionário público, e sim presidente do PTB – cargo que ocupa até hoje. Sobre a lavagem de dinheiro, negou que tenha havido irregularidade na negociação de recursos do partido, por ter sido baseada em “acordos interpartidários previstos legalmente pela Lei 9.504”.