Já era

301

A tentativa de reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre para as presidências da Câmara dos Deputados e Senado Federal, respectivamente, caíram na vala brasiliense dos projetos natimortos. Está praticamente descartada no Palácio do Planalto e sem apoio no Congresso. E ambos já receberam os recados de eminências do Judiciário – há uma consulta no Supremo Tribunal Federal. É um ano atípico, cheio de problemas em todos os setores – principalmente no Legislativo, cujos parlamentares fugiram para suas bases, desde março, para ajudar campanhas de prefeitos e vereadores, aproveitando a pauta vazia com a pandemia do Covid-19.

Acordem, excelências
O consenso entre Poderes é que seria desnecessária dor de cabeça para o Judiciário resolver, e mais desgaste à imagem do Congresso, que nunca foi das melhores.

Ajuntamento
Daí ministros palacianos articularem um ministério para Rodrigo Maia – mais a pedido do ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, para levar o DEM à base do Governo.

Eles tentaram
Outro fator contra Maia e Alcolumbre é o histórico de tentativas fracassadas de caciques nesse projeto. Muito mais articulados e tarimbados, Sarney, ACM e Renan Calheiros tentaram reeleição quando presidentes do Senado. Em vão.

Conduta errônea
Juristas experientes que analisaram a conduta do advogado de defesa do acusado de estupro contra Mariana Ferrer ficaram estarrecidos com seu comportamento. Num grupo de whatsapp de Brasília, com centenas de advogados, um deles argumentou: “o advogado foi além do necessário ao patrocínio do cliente; cobriu a vítima de insultos, quando o crime de estupro é punível ainda quando a ofendida é meretriz (que não é o caso da jovem). Merece uma condenação em danos morais, pelos excessos cometidos”.

Fala,  ministra
Nota-se em Brasília um silêncio da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, sobre o caso Mariana Ferrer. Damares, defensora das mulheres em outras ocasiõe midiáticas – e que já revelou ter sofrido violência sexual na infância – se calou e deixou as tratativas protocolares sobre o escândalo com a pasta.

Fala, OAB!
Outro silêncio ensurdecedor sobre a conduta do advogado do acusado é do Conselho Federal da OAB. Já o juiz que criou o neologismo “estupro culposo” foi denunciado ao Conselho Nacional de Justiça.

Apagão
Fontes da Coluna do Amapá, ligadas ao setor elétrico, indicam que, no melhor dos cenários, o Estado poderá ter energia restabelecida 100% dentro de quatro dias. Durante temporal atípico em Macapá anteontem, com centenas de raios em duas horas, houve incêndio na hidrelétrica Coaracy Nunes, que causou apagão no Estado.

PSB tem chance
Em Macapá, a disputa para a prefeitura está polarizada. Apesar da frente ampla de apoio a Josué Alcolumbre, irmão do senador, João Capiberibe aparece forte nas pesquisas.

Cadê a CPI?
O Senador Eduardo Girão (PODE) resolveu comprar briga grande. Diz que o “ativismo judicial do STF só vai parar quando houver a análise de dezenas de pedidos de impeachments (contra ministros do STF), todos embasados e com indícios, e com a CPI da Lava Toga”.

Decolando
A compra de frota aérea de aviões de carga pela Mercado Livre já é outro indicativo de que a multi argentina quer comprar os Correios do Brasil, conforme já citamos.

Ah, VIVO..
Mais uma do caso desrespeito da VIVO com cliente que teve chip pós-pago cancelado para transferência nominal a outro cliente, pré-pago. Até hoje, duas semanas depois, a caixa postal do número de telefone tem a saudação do hotel na Bahia que usava o chip. O caso foi parar na Justiça e já tem audiência agendada para janeiro.

ESPLANADEIRA
# Mais de 2.300 empresas concorrem em seis categorias no 5º Prêmio Compliance Brasil Sustentabilidade. Em parceria com o Grupo Voto, a cerimônia de premiação que acontece no dia 05 de novembro.

A seção Esplanadeira é o espaço destinado a divulgar informações de cultura, esporte, mercado, ações sociais e outras, sem qualquer contrapartida de anúncios ou financeira desde sua estreia. Assessorias podem enviar sugestões para reportagem@colunaesplanada.com.br