O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) elevou a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todas as riquezas produzidas no país – para este ano.

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) elevou a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todas as riquezas produzidas no país – para este ano. Segundo o Boletim de Conjuntura, divulgado ontem, o PIB deste ano deve ficar em 4,5%, superando a última previsão de 4,3%, divulgada em junho.

“O que nós estamos constatando é que houve um dinamismo na economia no que se refere aos indicadores de consumo e de investimento”, explicou o economista do IPEA Fábio Giambiagi. “O que é mais importante é que as previsões indicam uma manutenção desse dinamismo para o ano que vem”, disse.

A previsão de crescimento do consumo das famílias em 2007 foi revisada de 5,7% para 6,2%, e a Formação Bruta de Capital Fixo, correspondente aos investimentos, elevada de 9% para 10% . Já o crescimento do PIB para 2008 está estimado no mesmo valor deste ano, em 4,5%.

Segundo Fábio Giambiagi, esse terceiro boletim do ano fez uma projeção conservadora para o crescimento da economia devido às incertezas do setor agropecuário, que teve redução na previsão de crescimento de 4,5% para 3%.

“O PIB poderá crescer mais de 4,5%. As notícias que estão sendo veiculadas nos jornais apontam otimismo para o setor agropecuário”, disse o economista. “Mas nós levamos em consideração que o crescimento do PIB do segundo trimestre foi bom, em linhas gerais, para o conjunto da economia, mas bastante ruim para a agropecuária. Isso nos deixou em dúvida em relação ao desempenho do setor no ano como um todo e optamos por ser conservadores”, justificou.

Ainda segundo o Boletim de Conjuntura do IPEA, o crescimento previsto para a indústria aumentou de 4,3% para 4,8% e para o setor de serviços, de 4% para 4,2%.