Inspiração: startup de saúde HiLab adota conceito da biofilia em projeto assinado pelo escritório Ponto41

321

Bem-estar, conforto e ambiente estimulante promovem produtividade, criatividade e satisfação no trabalho. Estes são aspectos da neuroarquitetura (conceito que já abordamos nesta coluna com o belo trabalho da design de interiores Luciana Gibaile) valorizados pelas diretrizes da biofilia, literalmente, “amor à vida”. O que, nas áreas de arquitetura e design se traduz em projetos com atmosfera agradável e fluente, com vários elementos da natureza e/ou que remetem às formas, aromas e matérias-primas naturais. Estes conceitos foram também o ponto de partida do escritório de arquitetura Ponto 41, para a criação e implementação do projeto assinado para a startup da área de saúde HiLab.

O escritório, dirigido pela arquiteta Danielli Wal e pela designer Mayara Wal, desenvolveu o espaço do HiLab, um barracão com mais de mil m², um visual inovador com elementos naturais. A presença do verde é algo que o escritório adicionou para criar um clima agradável, trazendo a proposta é um elemento marcante do projeto, que abrange a recepção, área de trabalho, aquários para chamadas, salas de reunião, laboratório, fábrica e copa. As várias janelas do barracão dão vista para a vegetação da Cidade Industrial, proporcionando a iluminação natural ideal para o cotidiano laboratorial.

Em composição com o verde, o escritório adotou os tons de branco, preto e cimento queimado, estimulando sentidos de acolhimento, relaxamento e bem-estar. O diálogo do conceito biofílico com a estética industrial é outra característica do projeto, com o uso de metálicos, concreto, vidro e revestimento amadeirado. Tonalidades que remetem ao cimento fazem o contraponto com o verde natural na maior parte dos ambientes, utilizado desde no piso do pátio até nas paredes da recepção.

Para favorecer a interação entre o grupo de profissionais jovens e engajados no formato de startup, o espaço é conjugado e pé direito alto, valorizando a circulação de ar natural, e paredes de vidro. O projeto contempla não apenas o momento desafiador da pandemia, mas também os movimentos da sociedade na medida em que ela for sendo superada e as pessoas voltem a transitar com maior frequência nos ambientes corporativos. Bem-estar, segurança, naturalidade, descontração, valorização dos sentidos e do natural, para uma sociedade que precisou se adequar massivamente ao modelo de home office, são elementos muito valorizados neste novo mundo nascente.